logomarca

Ambipar revoluciona o agro com tecnologia que compensa emissão de carbono e aumenta produtividade


A extração intensiva do agronegócio vem reduzindo a fertilidade do solo ao longo do tempo e as mudanças que esse cenário impõe ao manejo da terra são responsáveis por grande parte das emissões de gases do efeito estufa (GEE). Por outro lado, solos saudáveis, tratados adequadamente, não apenas evitam esse excesso de emissões, como ajudam a sequestrar o carbono da atmosfera, melhorando a qualidade do ar que respiramos e devolvendo o equilíbrio ao meio ambiente.

 

Se levarmos em conta que o Brasil possui entre 60 milhões e 100 milhões de hectares de solos em diferentes níveis de degradação – extensão que supera a área da Espanha inteira –, segundo o relatório “Visão 2030: O Futuro da Agricultura Brasileira”, da Embrapa, dá para se ter uma ideia do potencial do país na contribuição de um futuro mais limpo e sustentável.

 

A Ambipar, multinacional brasileira especializada em gestão ambiental com presença em 16 países da América do Sul, Europa, África, América do Norte e Antártida, é pioneira na execução de um programa de crédito de carbono genuíno, que funciona por meio de um processo de biodegradação assistida com resíduos orgânicos de qualidade apropriada para a agricultura regenerativa.

 

O produto dessa tecnologia é um condicionador de solo, batizado de ECOSOLO®, registrado no Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e aprovado pelo IBD (Instituto Biodinâmico) e pela Ecocert, organização de certificação orgânica fundada na França em 1991. “Os benefícios sobre a produtividade agrícola vêm sendo acompanhados desde 2014 nas regiões de aplicação, bem como evidenciados por estudos conduzidos no Instituto Federal de Barretos”, diz Fabrício Profiro, superintendente de valorização agronômica na Ambipar.

 

De acordo com o especialista, até este momento já foram utilizados mais de 3 milhões de toneladas do produto, amostra suficiente para constatar incrementos da ordem de 25% a 28% na produtividade dos grãos de soja, inibindo a perda de fertilizante mineral por lixiviação, volatilização e fixação e, consequentemente, reduzindo o volume de insumos agrícolas necessários.

 

“O programa tem múltiplos benefícios: retira o CO2 da atmosfera, aumenta a biodiversidade e preserva a fertilidade do solo por meio do manejo sustentável junto aos parceiros rurais”, explica Bianca Ayres, doutora em bioprocessos e responsável pela área na Ambipar. “Nós orientamos e monitoramos as técnicas adotadas pelo agricultor para acumular carbono orgânico no solo, subsidiando assim a agricultura de precisão e gerando valor.”

 

Para se ter uma ideia da amplitude de benefícios que essa tecnologia é capaz de gerar, um estudo de Rattan Lal, professor emérito da Universidade de Ohio, estima que a recuperação de apenas 2% de carbono de todo o solo do planeta compensa 100% de todas as emissões que estão indo para a atmosfera.

 

“O ECOSOLO® colabora com o meio ambiente, estimula ganhos sociais ao apoiar agricultores e suas comunidades, tem uma viabilidade financeira maior do que o fertilizante comum e colabora com a imagem daqueles que aderem a um produto com esse propósito”, finaliza a especialista.

 

*BrandVoice é de responsabilidade exclusiva dos autores e não reflete, necessariamente, a opinião da FORBES Brasil e de seus editores

 

Fonte:Fortes em 19-05-2021 por Brand Voice, Forbes ESG

Leia Mais: