Paraná denuncia senadora que defende gado alimentado com ração transgênica

 

O coordenador do Grupo de Trabalho sobre Transgênicos do Governo do Paraná, Álvaro Rychuv, encaminhou ofício para senadora Kátia Regina Abreu (DEM-TO) com críticas contra o Decreto Legislativo nº 90/2007, que busca suspender a identificação dos animais alimentados com ração transgênica. A identificação de alimentos geneticamente modificados é uma medida prevista por outro Decreto, o de número 4.680/03.

“A população não pode ser enganada. A informação é imprescindível para que a população possa exercer seu direito de escolher qual alimento pretende consumir”, ressalta Rychuv.

O coordenador rebate a justificativa da senadora, que considera o artigo 3º do decreto “verdadeiro convite ao seu descumprimento” - em razão de suposta dificuldade para rastreabilidade – e a sua interpretação sobre o símbolo que identifica os alimentos com organismos geneticamente modificados OGMs “que remetem a idéia de atenção e cuidado e pode fomentar a desconfiança na população”.

Para Álvaro, a crítica representa a contradição que os defensores dos OGMs sempre revelam quando tentam impedir a identificação desses produtos. “Se não representa risco para saúde, porque querem impedir a identificação?”, questiona o coordenador. Ele salienta ainda que a identificação já ocorre em óleos de cozinha obtidos a partir da soja transgênica. “Assim, não haveria problema algum para identificar também os animais alimentados com ração transgênica”.

Atualmente, Regina está em licença para, segundo informa o seu site, “tratar de assuntos particulares”. A senadora vai se dedicar às eleições municipais no Tocantins e à sua campanha para a presidência da CNA – Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, cuja eleição será realizada entre outubro e novembro deste ano.

fonte: Transgênicos Paraná


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+