Novo relatório: grãos transgênicos ainda não tiveram êxito

Trabalho mostra que mais de 70% das plantações de transgênicos em larga escala continua limitada a dois países (os Estados Unidos e a Argentina).

Kuala Lumpur (Malásia), Lagos (Nigéria), Bruxelas (Bélgica) - Um relatório de Amigos da Terra Internacional, lançado em 9 de janeiro, mostra que os grãos geneticamente modificados não conseguiram enfrentar os maiores desafios dos produtores em todo o mundo e que mais de 70% das plantações de transgênicos em larga escala continua limitada a dois países (os Estados Unidos e a Argentina).

O novo relatório "Quem se Beneficia com os Grãos Geneticamente Modificados? Uma análise do desempenho global dos grãos geneticamente modificados 1996-2006" também afirma que a "segunda geração" de grãos transgênicos com "atributos atraentes", que a indústria prometeu há tempos, não apareceu.

"Nenhum grão transgênico no mercado hoje oferece benefícios ao consumidor em termos de qualidade e preço e não tem feito nada para aliviar a fome e a pobreza na África ou em qualquer outro lugar," diz, na Nigéria, Nnimmo Bassey, de Amigos da Terra/África. "A grande maioria dos grãos transgênicos cultivados atualmente são usados para fornecer ração para a pecuária nos países ricos", acrescenta.

O relatório aponta que, no Brasil, a produtividade de soja tem caído desde 2002, período de introdução da soja transgênica, em variedades possivelmente menos resistentes ao calor e a seca que as convencionais, e que produtores do Estado do Rio Grande do Sul relatam que a variedade de soja RR, transgênica, sofreu maior queda em produtividade do que a soja convencional durante a estiagem de 2004/2005.

Segundo o relatório, os grãos transgênicos comercializados hoje aumentaram o uso total de agrotóxicos, ao invés de diminuí-lo, e não resultaram em uma colheita maior em comparação às sementes convencionais. O meio ambiente não se beneficia do seu uso e as plantações de grãos geneticamente modificados serão cada vez menos sustentáveis no médio e longo prazo.

O relatório de Amigos da Terra Internacional coincidiu com o lançamento anual do relatório "Status global do comércio de biotecnologia (Global Status of Commercialized Biotech)" do International Service for the Acquisition of Agri-biotech Applications (ISAAA), que é mantido pela indústria transgênica e que promove a plantação de grãos geneticamente modificados como solução integral para a fome e a pobreza. A indústria transgênica continua a divulgar a afirmação enganosa de que os grãos transgênicos têm papel na resolução da fome mundial.

2006: UM PÉSSIMO ANO PARA OS GRÃOS TRANSGÊNICOS

Em 2006, o departamento de agricultura dos Estados Unidos, um grande incentivador dos grãos transgênicos, reconheceu pela primeira vez que as colheitas não ultrapassaram as de grãos convencionais e uma quantidade impressionante de estudos de cientistas independentes mostrou que as colheitas dos grãos transgênicos foram menores ou, na melhor das hipóteses, iguais às de grãos convencionais.

· Em 2006, uma pesquisa de opinião pública na União Européia reconfirmou a oposição do público europeu à comida geneticamente modificada.

· Em 2006, as provisões de arroz em quatro continentes foram contaminadas por um arroz transgênico ilegal que supostamente foi testado no campo somente até 2001, comprovando mais uma vez que a indústria da biotecnologia é incapaz e/ou omissa em controlar os seus produtos.

· Na década anterior, a produção de algodão caiu na maioria dos países que adotaram algodão transgênico, inclusive México, Argentina, Colômbia, África do Sul e Austrália. Quedas significativas na produção de algodão transgênico especificamente estão previstas para África do Sul e México em 2006.

· A partir de dezembro de 2006 somente quatro grãos (milho, algodão, soja e canola), com somente dois atributos (tolerância a agrotóxicos e resistência a insetos), foram cultivados pelo maior produtor de transgênicos, os Estados Unidos, apesar de já terem sido aprovados 71 distintos "eventos biotecnológicos" para uso comercial até agora.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONTATE:

Na America do Sul: Karen Nansen, Amigos de la Tierra Uruguay, Tel: +598 99 524 003
Na África: Nnimmo Bassey, Friends of the Earth Africa, Tel: +234 8037274395 (cel.) or +234 52602680 (trab.)
Na Ásia Asia: Nizam Mahshar, Friends of the Earth Malaysia, Tel: +60194777755
Na Europa: Adrian Bebb, Friends of the Earth Europe, Tel +4916094901163

O sumário executivo do relatório, em Português, está disponível NO ANEXO e, em Inglês, em: http://www.foei.org/publications/pdfs/gmcrops2007execsummary.pdf

O texto, ‘Destaques do relatório’ de três páginas, disponível somente em Inglês, pode ser encontrado em: http://www.foei.org/publications/pdfs/gmcrops2007highlights.pdf

Fonte: Site Amigos da Terra Internacional <http://www.foei.org/> em 26/01/2007


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+