Poluição por agrotóxicos

Hoje é dia de lembrar que é preciso controlar esse veneno agrícola

11/01/2011 - 11:22

Terra da Gente (CEA/ SPVS/ Carbono Brasil/ Embrapa)

Alterar o tamanho da letra A+A-

Os defensivos agrícolas, ao contrário de outras datas, têm um dia específico para lembrar a importância de controlar o seu

uso, já que este veneno polui a terra, a água, as plantas e, em última instância, os seres vivos (inclua-se aqui, o homem). É

por isso que hoje, 11 de janeiro, é chamado de Dia de Controle da Poluição por Agrotóxicos.

Atualmente o uso de agrotóxicos representa uma das maiores fontes de poluição ambiental no Brasil. E segundo o Centro de

Estudos Ambientais, "não há motivo para comemorar o controle da poluição por agrotóxicos, mas sim para refletir sobre o uso

indiscriminado". Em outras palavras, se o benefício que ele "supostamente" traz compensa os impactos que causa.

Sabe-se que ao homem, os impactos do manuseio dos agrotóxicos indicam que mesmo com a utilização dos EPIs (equipamentos

apropriados a isso), a aplicação não é segura. Que dirá aos animais infinitamente menores... Uma pesquisa realizada por

Roberta Cornélio Ferreira Nocelli, da Universidade Federal de São Carlos (SP), alerta que o uso de agrotóxicos pode ser

extremamente prejudicial para os polinizadores. Dependendo do pesticida usado, apenas 81 nanogramas são suficientes para

matar uma abelha.

Até em função disso, a pesquisadora defende a revisão da lei que regula a liberação de produtos químicos para o mercado.

Hoje, segundo ela, todo agrotóxico para ser liberado precisa ter avaliado o seu efeito em abelha. "Acontece que esse teste é

feito somente com um tipo deste inseto. O ideal é que ele seja realizado com outras espécies, inclusive com abelhas nativas",

explica.

História de longa data

A utilização dos pesticidas na agricultura começou na década de 20. Durante a 2ª Guerra Mundial eles chegaram a ser

utilizados como arma química. No Brasil, infelizmente, a utilização em larga escala de agrotóxicos veio do Plano Nacional de

Desenvolvimento, de 1975, que forçava os agricultores a comprar os venenos através do crédito rural. Para cada financiamento

havia uma cota de agrotóxicos.

Resultado: recentemente o Brasil atingiu uma liderança da qual não há que se ter orgulho: é o País que mais consome

agrotóxicos no planeta. E o que se vê como saldo disso é o aumento da contaminação ambiental, com prejuízos para a saúde de

agricultores e de consumidores.

Faz-se mais que urgente mudar o formato tecnológico que hoje impera, de forma a proporcionar condições de sustentabilidade à

agricultura. Para isso é necessário o fortalecimento de políticas públicas de apoio a uma agricultura menos impactante e a

geração de novas tecnologias (que não só contribuam para o aumento da rentabilidade, mas que também leve em conta a superação

de problemas ambientais).

No cerne da questão dos agrotóxicos está o paradigma de que a praga é um inimigo que precisa ser destruído. Mas na verdade, a

praga é um indicador biológico. Se há praga é porque alguma coisa está errada. A agricultura biológica, com a sua proposta

holística, leva em consideração aspectos fundamentais como a saúde do solo, a rotação de cultivos, consorciações, o que

contribui para uma boa nutrição da plantas. Assim, ela fortalecida não favorece o crescimento das pragas. Tai uma coisa para

refletir neste dia._]

 

http://eptv.globo.com/emissoras/NOT,0,0,330942,Poluicao+por+agrotoxicos.aspx

++++++++++=


Leia Mais:


Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Cardoso e L&C Soluções Socioambientais.

Siga-nos Twiiter rss Facebook "Whatsapp 88 9700 9062" Google+