China pede que habitantes do Songhua não comam peixes por 2 meses

As autoridades ambientais chinesas sugeriram aos habitantes da margem do rio Songhua, afetado por um derramamento de benzeno e nitrobenzeno, que não comam peixes de suas águas nos próximos dois meses, informou hoje uma nota oficial.

O nitrobenzeno sedimentado poderia se acumular no organismo dos peixes, por isso seria mais seguro deixar de comer produtos do rio", assinalou o subdiretor da Administração Estatal de Proteção ao Meio Ambiente (Sepa), Zhang Lijun.

A recomendação foi divulgada no mesmo dia em que o ministro da Saúde chinês, Gao Qiang, reconheceu em entrevista coletiva que o desastre ecológico foi "um grande problema que evidenciou a necessidade de criar planos preventivos diante de possíveis despejos tóxicos no país".

"Nosso objetivo é assegurar que possamos abastecer a população com água segura, limpa, saudável e potável", assinalou o ministro, que deu uma entrevista coletiva por ocasião da proximidade do Dia Internacional contra a Aids.

O despejo no Songhua foi causado pela explosão de uma central petroquímica da Petrochina na cidade de Jilin (alto curso do rio), acidente que deixou cinco mortos e provocou a retirada de 10 mil pessoas. A explosão foi em 13 de novembro, mas, segundo a Sepa, até 20 de novembro não foram encontrados altos níveis de toxinas no Songhua.

Após ser encontrado até 103 vezes mais nitrobenzeno na água do que o normal, as autoridades da região ordenaram o corte do abastecimento de água em Harbin e Songyuan, cidades que tornam a água do rio potável, mas a princípio não informaram a população sobre as causas da medida, o que gerou situações de pânico.

Embora nos primeiros dias tenham falado de cem toneladas de produtos tóxicos, segundo a Sepa parte das substâncias se dissolveu e agora falam de 50 toneladas, que se dirigem em direção à Rússia, pois o Songhua desemboca no rio Amur, compartilhado por chineses e russos.

A organização ecológica Greenpeace alertou no último dia 25 que há riscos de que o benzeno e o nitrobenzeno, cancerígenos se absorvidos em grandes concentrações, possam a longo prazo chegar aos animais da região e aos seres humanos.

" Caso o benzeno fique no leito do rio Songhua, pode entrar na cadeia alimentar e, a longo prazo, causar câncer", assinalou um especialista do escritório da organização ecológica na China, Kevin May.

Segundo a agência oficial Xinhua, a massa mais contaminada do rio entrou hoje no distrito de Tonghe, a cerca de 300 quilômetros da fronteira com a Rússia, onde se espera que chegue por volta de 10 de dezembro.

Tonghe fica a cem quilômetros de Qitaihe, cidade onde no fim de semana passado aconteceu um dos piores acidentes da mineração chinesa deste ano, no qual morreram 151 trabalhadores, segundo os últimos

Fonte:-Correio Brasiliense em 30-11-2005


Leia Mais:


Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Cardoso e L&C Soluções Socioambientais.

Siga-nos Twiiter rss Facebook "Whatsapp 88 9700 9062" Google+