Confirmado caso de resistência ao glifosato na Argentina


Estudos realizados pelo Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária da Argentina (INTA Manfredi) confirmaram mais um caso de erva-daninha resistentes aos herbicidas mais usados no mundo, principalmente ao glifosato. Desta vez os cientistas conseguiram descobrir a resistência da Hirschfeldia incan ao defensivo.

Segundo as informações divulgadas pelo Instituto, a Hirschfeldia incan se espalha por meio de suas sementes e germinação, principalmente nas estações do outono e da primavera. De acordo com Diego Ustarroz, especialista do INTA Manfredi, como seu ciclo é longo, a planta se comporta como invasora de culturas de inverno e também de verão. "É importante realizar um monitoramento adequado dos lotes para identificar os primeiros vazamentos e eliminar as plantas antes que elas consigam produzir sementes", afirma.

Os resultados indicaram que, além do glifosato, as pesquisas também conseguiram, em um primeiro momento, confirmar a resistência da planta ao herbicida 2,4-D, um dos mais utilizados na agricultura mundial. Segundo afirmou Ustarroz, atualmente existem mais de 1000 hectares com a presença deste biotipo resistente distribuído entre os municípios de Oncativo e Colonia Almada.

Ele também anunciou antecipadamente que as alternativas de controle serão publicadas em breve com herbicidas que surgiram dos testes realizados na área afetada, a fim de conseguir contornar o problema da resistência. "Embora as plantas não sejam controladas com esses herbicidas em doses normais, eles podem ser úteis em combinação com outros herbicidas, já que a resistência é parcial", comenta.

Fonte: Agrolink em 28 de setembro de 2018


Leia Mais:



SIGA NOS

Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço gratuito de Cristiano Cardoso e L&C Soluções Socioambientais.