Soja transgênica tem resíduos de agrotóxico acima do permitido

Soja transgênica tem resíduos de agrotóxico acima do permitido     

De 150 amostras de soja referentes à safra 2006 no Paraná, foram detectados resíduos de glifosato em mais de 70%.

Curitiba, PR - O engenheiro agrônomo Valdir Izidoro Silveira, presidente da Empresa Paranaense de Classificação (Claspar), denunciou nesta terça-feira (24), durante a reunião da Escola de Governo, que parte da produção de soja transgênica no Paraná apresenta resíduos de glifosato acima do permitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo Izidoro, isso representa conseqüências graves para a saúde humana e para a economia paranaense. “Das 150 amostras de soja referentes à safra 2006, foram detectados resíduos de glifosato em mais de 70%. As amostras foram coletadas pelos Engenheiros Agrônomos da Divisão de Fiscalização de Insumos da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento”, afirmou.

Izidoro destacou que cerca de 5% das amostras de grãos de soja transgênica estavam com resíduos acima do permitido pela Anvisa, que é de 10 mg/kg de grãos de soja. “As amostras indicaram resultados em excesso apresentando teores entre 14,44 a 36,00 mg/kg. de resíduos de glifosato.”

Relatório da Secretaria da Agricultura, segundo lembrou, “registra que a estimativa da safra – 5,8 milhões de toneladas de soja transgênica – indica que 5% dessa produção está contaminada com glifosato + AMPA – significando que cerca de 290 mil toneladas de soja estão com quase 2.900 kg do princípio ativo do glifosato + resíduo AMPA.”

O presidente da Claspar alertou que “o quadro é de extrema gravidade, já que a Secretaria da Agricultura detecta aumento global de 97,15% de resíduo de glifosato em grãos de soja transgênica entre 2003 e 2006, revelando que a utilização do agrotóxico em larga escala contribuirá significativamente também para a contaminação do solo e com reflexos negativos na biodiversidade paranaense”.

Saúde – O agrônomo Izidoro Silveira ressalta também que “o excesso de resíduos de glifosato representa sério risco para a saúde humana. Com base no relatório da Secretaria, pode-se afirmar que a população paranaense está consumindo quase 3 toneladas de ingrediente ativo do glifosato. E também é preocupante para a nossa economia, no que se refere a eventuais restrições que os países importadores poderão impor ao Brasil, devido aos altos índices de contaminação encontrados”.

O relatório da Secretaria sobre a presença de resíduos de glifosato na produção de soja transgênica está disponível no site www.transgenicos.pr.gov.br, no espaço Notícias.

Fonte:Agência de Notícias do Paraná, 25/07/2007 - Transgenia

 


Leia Mais:



SIGA NOS

-->