Glifosato altera DNA de Equatorianos

Pesquisa realizada no Equador e que será publicada no próximo número do journal Genetics and Molecular Biology concluiu que o DNA de pessoas que vivem até 3 km da fronteira entre Equador e Colômbia - área que vem sendo pulverizada com Round Up para controle da coca -, apresentam danos no DNA entre 600 a 800 vezes maiores do que as pessoas que vivem a 80 km de distância da fronteira. No programa de combate às drogas, as aplicações de herbicida são 20 X maiores do que as "recomendadas". As alterações no DNA podem provocar cancer e mal formação de embrião. A conclusão dos pesquisadores da Univ. Católica do Equador contradiz a afirmação dos vizinhos colombianos que insistem em dizer que as pulverizações não causam qualquer dano.

Fonte: Scived


Leia Mais:


Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Cardoso e L&C Soluções Socioambientais.

Siga-nos Twiiter rss Facebook "Whatsapp 88 9700 9062" Google+