Algodão orgânico

Promessa de saúde no campo e lucro
Cultura será apresentada aos produtores no 7º Show Tecnológico; objetivo é reintroduzir a cotonicultura na região

Meio ambiente sem agressão, produtores mais saudáveis e garantia de uma renda maior. Essas são as principais vantagens oferecidas aos cotonicultores que optam pelo algodão orgânico ao invés do convencional. A cultura começou a ser implantada na região há cinco anos e hoje já está presente em cinco municípios, porém a meta é alcançar toda a área do arenito caiuá.

A cultura é uma novidade para os agricultores, pelo menos 90% da classe a desconhece, mas durante o 7º Show Tecnológico Arenito Caiuá que acontecerá nos dias 1 e 2 de fevereiro em Umuarama os produtores terão a oportunidade de conhecê-la in loco e receber informações sobre o algodão orgânico que promete renda sem agressão. A empresa YD Confecções de São Paulo montará um estande para atender os visitantes e apresentar as vantagens da inovação.

O algodão orgânico está presente nos municípios de Francisco Alves, Altônia, São Jorge do Patrocínio, Esperança Nova e Cruzeiro do Oeste. A cultura ocupa uma área de 22 hectares e chegou com o apoio da Emater/PR e o aval do Programa Agricultura Familiar do Governo do Estado. Mas os idealizadores do projeto que a introduziram querem atingir uma área de 1 mil hectares plantada já na próxima safra.

“O custo de produção do algodão orgânico é pelo menos 50% mais barato que o convencional e ainda não coloca em risco a vida e a saúde de ninguém. O produto tem um preço 25% mais alto no mercado com relação ao convencional e o mercado consumidor é bastante amplo. O indice de produtividade é igual ao do convencional, o produtor que optar por ele só tem a ganhar”, afirmou o técnico agrícola Jair Mauro Pelegrin.

Desenvolvimento
Segundo Pelegrin, além da proposta de garantir o retorno da cotonicultura na região do arenito outra meta é implantar um Centro de Pesquisa de Fibras Orgânicas e usar a área do show como campo para difusão de pesquisas. “Temos estrutura para beneficiamento do produto na região e garantia de bons resultados. Agora queremos que os produtores conheçam a cultura e aceitem ser nossos parceiros. Começamos com um pequeno grupo e hoje já contamos com o apoio de 14 agricultores, mas a tendência é aumentar esses números”, ressaltou.

Fonte: Site Umurama ilustrado<www.ilustrado.com.br>


Leia Mais:



SIGA NOS

-->