Agricultores se preparam para exportar cachaça e açúcar orgânico para o mundo inteiro

“Isso aqui é um exemplo para o Brasil”, disse o secretário da Agricultura da Bahia, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, ao conhecer in loco o sistema de produção de cana de açúcar no município de Barra, no território de Identidade Velho Chico, e visitar as instalações da unidade de beneficiamento de cana-de-açúcar e derivados, (açúcar mascavo, melado, cachaça, rapadura e doces), que está sendo construída na localidade de Brejo da Cachoeira. A região possui 30 brejos, de águas límpidas e toda produção de cana é orgânica, protegendo e conversando o meio ambiente.

“O que está sendo feito aqui é fantástico, e vai garantir a sustentabilidade dos filhos e dos netos dos 18 mil brejeiros que vivem nesta região”, disse o secretário ao presidente da Associação dos Produtores de Cana de Barra, Nelson Lima de Meira, e ao prefeito de Barra, Artur Filho. Acompanhando pelos diretores e superintendentes da Seagri e pelos presidentes e diretores da Bahia Pesca, Adab, EBDA e CDA, o secretário afirmou que um plano piloto será feito para estruturar a cadeia produtiva da cana-de-açúcar, e que uma das metas será a agroindustrialização. “Acreditamos que em pouco tempo poderemos exportar açúcar orgânico, cachaça, rapadura e doces para a Europa e Ásia”, disse o presidente da associação.

De acordo com Salles e com o prefeito Artur Filho, a unidade de beneficiamento de cana-de-açúcar e derivados de Brejo da Cachoeira será a primeira de uma série de cinco ou mais que deverão ser construídas no município, que tem 3 mil hectares plantados com cana-de-açúcar, produzindo 35 toneladas por hectare/ano. A atividade conta com 1.500 produtores e envolve diretamente 9 mil famílias. No município estão instalados 1.209 alambiques, produzindo cachaça de boa qualidade, mas que enfrentam problemas de comercialização.

Esta é uma das questões que serão solucionadas com a elaboração do projeto piloto e da estruturação da cadeia. Além da assistência técnica garantida pela EBDA, o Sebrae será convidado a participar das ações, capacitando os produtores e orientando em questões como rotulagem e apresentação dos produtos para exportação e comercialização interna.

A unidade de beneficiamento de cana-de-açúcar e derivados, orçada em R$ 338 mil, está sendo construída com recursos do município de Barra e do governo do Estado, através de convênio com a Seagri/EBDA. A construção está em fase, com previsão de inauguração para o próximo semestre. Segundo o prefeito Artur Filho, os equipamentos e móveis já foram licitados.

A visita do secretário e comitiva às instalações da unidade de beneficiamento fez parte de programação do Projeto Seagri Itinerante realizado em Barra nestes dois dias, durante os quais foram debatidos os problemas e soluções possíveis com secretários de agricultura dos municípios do Território de Identidade Velho Chico e com representantes das cadeias produtivas da apicultura, piscicultura, cana-de-açúcar, biocombustível, pecuária de leite e de corte, fruticultura e ovinocaprinocultura.

Acompanharam o secretário nesta viagem de trabalho o superintendente de Desenvolvimento Agropecuário, Raimundo Sampaio; o diretor da EBDA, Elionaldo Teles, o diretor geral da Adab, Paulo Emílio; o diretor de Agricultura da Seagri, Almeida Junior; o coordenador da CDA em exercício Pedro Mont´Alverne; Adriano Bouzas, diretor de inspeção da Adab; Pedro Mariano, coordenador da regional Barreiras da Adab; Paulo Gonçalves, coordenador da Adab em Barra; Nelson Luz Pereira, técnico da EBDA de Abaíra e especialista em cana-de-açúcar; Leonildo Damasceno e Sérgio Nogueira, assessores técnicos da Seagri.

O prefeito de Muquém do São Francisco, presidente da Associação dos Prefeitos da Região, participou dos debates e acompanhou o secretário Eduardo Salles em toda programação.

FESTIVAL DE TILÁPIA

Como parte da programação dos festejos aos 138 de emancipação política, o município de Barra, em parceira com a Cooperativa dos Piscicultores e Pescadores de Barra, iniciou nesta quinta-feira, (16), I Festival de Tilápia de Barra. De acordo como João Batista, presidente da cooperativa, a região produz seis mil quilos/mês de tilápia, que abastece o mercado local processados em filé e em posta. A cooperativa tem entre seus 25 cooperados 13 piscicultores e 12 pescadores. O festival de tilápia vai prosseguir até o dia 22.

Peixes como dourado, surubin, Curimatá, tambaqui e piranha são tradicionais na região, mas agora está dando espaço para a tilápia, que já caiu no gosto popular pelo sabor de sua carne, branca e de baixo teor de gordura.

Fonte: Ascom Seagri em 20/06/2011

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se