Setor de orgânicos deve crescer 20% em 2017


A produção de alimentos orgânicos no Brasil deve crescer 20% em 2017. Atualmente, quase 15 mil produtores atuam no país. A maior parte vem da agricultura familiar. Quem consome orgânicos, garante que o sabor é um dos motivos da escolha. 

As saladas agradam os clientes de um restaurante na zona sul de São Paulo. “Para mim é uma rara situação em que podemos comer fora de casa se sentindo realmente bem. Sempre que possível eu compro orgânicos. Claro que nem sempre o preço ajuda”, afirma o pediatra Márcio Pantaleão Ghiu. 

Já a dona do restaurante, Marlene Pereira Silva, dona do restaurante, acredita que o fato de os produtos estarem sempre frescos é um dos diferenciais. “Muitos clientes falam: ‘Marlene, as verduras aqui parece que tem outro gosto. Se eu como uma vagem no seu restaurante, é diferente da vagem do vizinho. Fazemos em casa também e não é o mesmo gosto, não é o mesmo jeito’. Por isso, por ser orgânico, por ser tirado da roça e vir direto pro restaurante”, conta. 

As saladas servidas no restaurante vêm de pequenos produtores, como Eduardo dos Santos Faria. Em um recanto verde em plena capital paulista, ele produz uma grande variedade de frutas e verduras. 

“Hoje temos rúcula, alface, couve, temperos como salsinha, cebolinha, coentro. Aí tem acelga, manjericão, beterraba, cenoura, maxixe, jiló, quiabo, mandioca, banana, citrus, laranja, mexerica e limão” afirma. 

Há três meses, Eduardo deixou a marcenaria que tinha de lado para se dedicar à agricultura. Ele ainda não tem a certificação de orgânico, que demora de um a três anos para ser concedida ao agricultor. No entanto, o produtor já está com planos para se juntar aos 15 mil registrados pelo Ministério da Agricultura. 

“Só plantamos um pouquinho e ainda não dá renda. Mas minha perspectiva é ampliar bem a roça no próximo semestre, porque conseguimos terra preparada para isto. Também trazer o turismo rural, pessoas para conhecer e colher aqui na terra. Trazer crianças para mexer na terra”, conta. 

Eduardo tem o perfil da maioria dos produtores orgânicos do país, que é formada por pequenos agricultores da região sul e sudeste. Mas os números deste mercado crescem em ritmo acelerado para 2017. A expectativa é de 20% de aumento nas vendas.

O diretor da Associação de Agricultura Orgânica, José Estefano Bassit acredita que assim que o Brasil melhorar da crise, a agricultura orgânica também crescerá. “É um dos setores que mais cresce no Brasil e enxergo uma demanda bem reprimida. No momento em que o Brasil tiver um pouquinho de crescimento e melhor distribuição de renda, os nossos níveis de crescimento vão chegar a patamares espetaculares”, analisa. 

O cultivo de orgânico não usa agroquímico, mas exige mais mão de obra. Uma das principais vantagens do segmento é o preço, que costuma ser maior do que o produto convencional. São aproximadamente 750 mil hectares de cultivo no país. A área ainda é considerada pequena em relação a outros países. 

“O Brasil tem um potencial gigantesco. Se você observar a América do Norte, com 10% de agricultura orgânica. Alguns países da Europa, como a Alemanha, em torno de 25%. Dinamarca está a caminho de se tornar 100% orgânica, e o Brasil em torno de 1,5% orgânico, nós temos um vasto caminho espetacular para trilhar pela frente”, completa Bassit. 

Fonte: Canal Rual em 10-01-2017


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+