Orgânicos: quase 7 toneladas de produtos são vendidos por ano, no DF

Na terceira reportagem da série, você vai conhecer as feiras que vendem os alimentos produzidos sem agrotóxico

Hortaliças, frutas, folhosas e grãos, todos produzidos sem agrotóxicos e vendidos em supermercados e também em 37 feiras do Distrito Federal e entorno. A comercialização dos alimentos saudáveis é o tema da terceira reportagem da série Orgânicos e, por isso, a equipe da TV Fato foi conferir o que tem de melhor neste negócio.

Segundo dados da Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF), são produzidas, por ano, 6,9 toneladas de hortaliças e frutas orgânicas no DF. Elas podem ser vendidas diretamente pelo produtor em sua fazenda, repassadas para os mercados ou também reunidas em cooperativa, como é o caso do Mercado Orgânico da Ceasa (Central de Abastecimento do Distrito Federal). O espaço nasceu em 2012 e, desde então, consegue movimentar cerca de R$120 mil por mês.

No total, são 44 cooperados. A venda ocorre sempre aos sábados, das 6h às 11h da manhã. A variedade é grande, em verduras, legumes, frutas e processados: alface, cenoura, cheiro verde, manjericão, ovos caipiras, pepinos de várias espécies, molho de tomate, manga, uva, arroz, feijão, entre outros. Os preços são 30% mais caros que o convencional e podem ir de R$ 2,50 a até R$ 18,90 o quilo.

O presidente da Cooperativa do Mercado Orgânico da Ceasa, Luíz Paulo Rodrigues, explica que o valor é alto por conta dos custos da produção, mais demorada e trabalhosa, sem a utilização de venenos, como herbicidas. Contudo, para Rodrigues, as vendas podem crescer. "A tendência é vender cada vez mais, tendo em vista que as pessoas estão procurando produtos mais saudáveis”, confirma.

O engenheiro Augusto Chiba é um desses consumidores. Frequentador assíduo do Mercado, diz que prefere os orgânicos por conta da produção. "É melhor, mais saudável. Hoje em dia, pouco se sabe sobre a procedência dos produtos." Já o servidor público Carlos Junior diz que a compra é uma maneira de estimular o crescimento da agricultura orgânica e, por isso, não se preocupa em pagar caro. "Se a gente compra mais, eles vendem mais, e os preços podem ficar mais baratos com o aumento da produção", afirma.

Estima-se que hoje existam no DF cerca de 160 mil consumidores de orgânicos. Mas, destes, somente 40 mil consomem produtos sem agrotóxicos frequentemente.

Feirinhas
Quem poderia imaginar que no meio de vários prédios na região central de Brasília, há feiras de produtos orgânicos? É, existem! Para quem tem dificuldade de ir até a Ceasa, dados da AGE (Associação de Agricultora Ecológica) mostram que, semanalmente, são oferecidos mais de 80 itens produzidos de forma orgânica em nove feiras no Plano Piloto e no Sudoeste.

Na 315/316 da Asa Norte, há variedade de verduras e folhosas em uma banca de produtos orgânicos. Para o servidor público, Fernando Cleser, a feirinha dentro da cidade facilita demais. “Os produtos são mais baratos e mais fresquinhos, há a possibilidade de a gente se aproximar do produtor e até mesmo visitar as propriedades”, disse.

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se