Feijão não irrigado atinge alta produtividade em projeto experimental

Cedro (Sucursal/Iguatu) - Produzir feijão, no Semi-árido cearense, mesmo em período de pouca chuva e sem irrigação, é viável. A experiência foi realizada pelo escritório da Ematerce, no Assentamento Baixio do Brás do programa Reforma Agrária Solidária, no Município de Cedro, na região Centro-Sul do Ceará. Trata-se do método Guimarães Duque de captação localizada da água da chuva, fixação de nitrogênio nas raízes do feijoeiro em área preparada em sulcos nivelados. A metodologia é inovadora na região.

De acordo com dados divulgados pelo escritório da Ematerce de Lavras da Mangabeira, responsável pelo projeto, a experiência resultou em elevada produtividade. O rendimento médio normal da cultura de feijão vigna no Município é de 1.000 kg por hectare. Neste ano, foi de apenas 300 kg/ha em razão da seca. Entretanto, na área experimental, a produtividade chegou a 1.386 kg/ha. "Graças a essa tecnologia conseguimos um incremento de 362%", disse Kléber Correia de Souza, gerente do escritório da Ematerce.

A aplicação da nova tecnologia mostra ser uma alternativa viável para convivência com o Semi-árido e com o secular fenômeno da seca. "O nosso objetivo é contribuir com a produção de alimentos, melhorar a renda dos pequenos produtores e garantir a safra, mesmo em período de reduzidas precipitações", explicou Kléber Correia. "Esperamos que a nossa experiência seja multiplicada, possa ser aplicada em outras áreas de produção agrícola de assentamentos e pelo Projeto São José".

O Assentamento Baixio do Brás, também conhecido como Baixa da Areia, conta com 22 famílias. Integra o programa Reforma Agrária Solidária, no Projeto São José, numa área piloto, no Município de Cedro. A experiência de adoção do método Guimarães Duque de captação de água "in situ" (localizada) foi feita numa área de 0,33 do hectare. A tecnologia é associada à inoculação de bactérias do gênero "Rhizobium", que possuem a propriedade de fixar o nitrogênio do ar nas raízes do feijoeiro, permitindo a redução ou ausência de adubação química nitrogenada.

fonte: Fiario do Nordesteem 06/08/2005

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se