Reassentados iniciam a colheita de soja orgânica


Produtores já venderam toda a safra, cerca de 10 mil sacasa, para a União Européia

Rosângela Servilheire Da redação


Cascavel - Os agricultores reassentados pela Copel, já iniciaram a colheita dos 200 has plantados com soja orgânica. Devido as condições do tempo, apenas seis hectares foram colhidos até agora. A previsão é de que o trabalho seja concluído no início do mês de abril. Os produtores já venderam toda a safra para a União Européia. A expectativa é colher cerca de 63 sacas por hectare. "Acreditamos que em toda a área a produção total deve chegar a 10 mil sacas", informa o coordenador da Comissão Regional dos Atingidos por Barragens do Rio Iguaçu (Crabi), Lucindo Svistalski. A produção de soja orgânica se dá em áreas livres do uso de produtos químicos por um período de três anos e é feita na totalidade por pequenos produtores que usam mão-de-obra familiar no processo produtivo.

Esta modalidade de plantio, segundo, os coordenadores da Crabi rende em torno de U$ 5 a U$ 7 dólares de lucro aos produtores. A saca de 60kg é vendida a U$ 15. Svstalski explica que toda a produção orgânica é voltada ao consumo humano, por isso a comercialização é feita basicamente para o exterior, uma vez que no Brasil ainda não há entre a população o costume de consumir soja na alimentação.

Ainda de acordo com a Crabi toda a produção é fiscalizada por técnicos e após a colheita os grãos são analisados e recebem certificação de vários órgãos estrangeiros com sede no Brasil como o IBD - Instituto Bio Dinâmico de São Paulo, que atestam a qualidade e a pureza da produção.

fonte: Gazeta do Parana, 18/03/03

Mais notícias   Associe-se