Banco de Proteína á alternativa no semi-árido

O Projeto Banco da Proteína que está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado, através do Programa Permanente de Convivência com o Semi-Árido/SDR, representa uma alternativa importante de trabalho e renda para 10 famílias da comunidade quilombola de Lagoa das Emas, em São Raimundo Nonato, município situado a 517 quilômetros ao Sul de Teresina.

O projeto tem o objetivo de difundir tecnologia em sistemas de produção e processamento da massa verde de pastagens cultivadas com plantas apropriadas à convivência com o semi-árido piauiense através da capacitação de agricultores.

Implantado em 2004, o Projeto Banco da Proteína utiliza tecnologia de participação e transparência, na perspectiva de tornar essa tecnologia reconhecida como uma política pública viável e apropriada ao desenvolvimento da agricultura familiar por meio de sustentabilidade ambiental e geração de renda.

De acordo com Lúcia Araújo, coordenadora do Programa Permanente de Convivência com o Semi-Árido (PCCSA), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), o Projeto Banco da Proteína foi avaliado como positivo pelas famílias de agricultores participantes do seminário, parceiros e apoios, entre os quais o Governo do Piauí, Projeto Dom Helder Câmara, PCCSA, Cárita Diocesana, COOTAPI e convidados do Projeto Viva o Semi-Árido.

O cultivo de plantas para alimentar os animais e o processo de como armazenar esses alimentos são garantia de alimentos para os animais, rendimento reprodutivo do rebanho e renda do agricultor familiar, principalmente em época de seca.

fonte: Canal Verde

 

 

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se