Produtos biológicos: Um mercado em crescimento

São cada vez mais diversificados e em maior número os estabelecimentos dedicados ao retalho de produtos biológicos, mas o mercado ainda está a dar os primeiros passos em Portugal.

O mercado biológico está a crescer por todo o país. Há lojas, supermercados e até padarias dedicadas a produtos biológicos, mas Jaime Ferreira, presidente da Associação Portuguesa de Agricultura Biológica (AGROBIO), diz ao JPN que o crescimento verifica-se “por toda a Europa, não apenas em Portugal” e que “ainda tem muito para evoluir”.

O presidente da AGROBIO explica que o crescimento do mercado português tem sido bastante positivo: “Segundo dados europeus, em Portugal, já há o dobro da procura em relação à oferta”, declarou ao JPN.

No entanto, Portugal ainda apresenta níveis de produção agrícola biológica muito baixos. “A produção de cereais biológicos é quase inexistente, mas se estivermos a falar de legumes biológicos, já é um caso diferente“, explica o presidente da AGROBIO. De acordo com o engenheiro florestal, já há produção nacional de legumes suficiente para abastecer 80% do mercado biológico português. A fruta biológica produzida serve apenas 40% da quota deste mercado.

Jaime Ferreira considera que a evolução no setor passa por estimular a produção. “Em 2015 houve uma grande adesão de agricultores às culturas biológicas”, afirma. De acordo com dados do Ministério da Agricultura, em 2015 havia um total de 3.837 produtores biológicos no país.

A evolução sofrida justifica o investimento: “Já não são meras lojas de bairro. São supermercados biológicos e exigem uma produção que ainda não há em Portugal”. A SONAE, por exemplo, acaba de abrir, esta terça-feira, em Lisboa, o seu primeiro supermercado biológico. Sobre a iniciativa, a administradora da SONAE MC disse ao jornal “Público” que a venda dos artigos biológicos na cadeia Continente, de que a Sonae é proprietária, está a crescer “a dois dígitos”, sendo mesmo “a área que mais cresce”, segundo disse ao jornal.

“Há terra disponível e há consumo, só falta a produção”, conclui Jaime Ferreira. A agricultura biológica ocupa 7% da Superfície Agrícola Utilizada (SAL) de Portugal e 82% desta área está localizada na zona da Beira Interior e do Alentejo, de acordo ainda com o Governo.

O presidente da AGROBIO revelou ainda que nas próximas semanas vai ser lançada a Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica portuguesa, desenvolvido pela AGROBIO, outros parceiros e pelo Governo. O objetivo é dinamizar a produção, “apostando na área técnica e científica” e também “aumentar a comercialização”.

De acordo com Jaime Ferreira, o Porto é o grande centro de consumo de produtos biológicos na região do Norte, apesar de não haver dados concretos disponíveis. Os dados existentes permitem verificar que “a população urbana tem uma maior apetência para consumir produtos biológicos do que a rural”. Um dos objetivos da estratégia nacional passa por “recolher dados para organizar as áreas de consumo”.

Fonte:JPN em 06-12-2016 por André Ferrão

Leia Mais:

SIGA NOS