Produção de orgânicos fortalece cada vez mais cadeia de produtividade em SC


Os Produtores da região Sul e Oeste de Santa Catariana mostram que é possível, com ações de valorização do cultivo de orgânicos, promoverem o desenvolvimento rural. Para atender um mercado cativo e se tornar referência para os consumidores, pequenos agricultores se unem em feiras e buscam aperfeiçoamento das técnicas, como mostra a segunda reportagem do SC+, no Bom Dia Santa Catarina, que traz exemplos de um estado mais produtivo.

produtividadeDesde de 2013, a Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), em Criciúma, abriu espaço para fomentar a cooperação, com a prática do comércio justo, do consumo solidário e, principalmente, de valorizar a origem orgânica e de respeito à natureza.

"Todo ato de produção e consumo é um ato solidário. Quando a gente produz um produto, ali tem um pouco da nossa identidade. O doce tem o DNA, a identidade de alguém. E quando alguém consome, buscamos isso também", explica o organizador da feira Dimas Estavam.

A Feira de Economia Solidária ocorre todas as quartas-feiras no campus, mas a rotina dos feirantes envolve trabalho a semana toda. "Geralmente eu e minha cunhada fazemos as geleias no sítio interior de Nova Veneza na terça e quinta-feira para vender depois. Trabalho com morangos orgânicos inteiros e é a geleia que eu mais vendo”, afirma a feirante Elaine Frank.

A solidariedade da feira aparece logo no início com a montagem das barracas. “A gente se ajuda em tudo, desde a montagem da barraca até a exposição do produto, porque se isso não ocorrer, não funciona uma feira”, comenta a feirante Ângela Salomão.

Universitários, funcionários e moradores da região se revezam para a montagem das bancas com os produtos. “O objetivo da economia solidária é aproximar também. E a aproximação do produtor com o consumidor faz com que se crie um laço. Porque quem produz sabe que não vai querer maltratar o outro e quem consome tem a confiança de quem tá produzindo”, afirma Estevam.

O clima de união não deixa o cliente de lado. “Toda quarta-feira eu compro e é um alimento assim fantástico. É barato, é um produto brasileiro, nacional, nosso”, aponta a professora Janete Triches.

Nova referência em vinhos

Em Quilombo, no Oeste, as famílias têm investido na produção de vinho e no cultivo de uva. A profissionalização dos filhos dos produtores da cidade aliada ao conhecimento tradicional têm promovido mudanças na prática e a região se potencializou como referência.

“A região não é muito conhecida pela produção de vinho, mas tem um potencial muito grande. Basta querer como profissional, os produtores fazendo a parte deles. Com certeza a gente vai ser reconhecido”, enólogo e filho de produtor Fábio Ricardo Ecco.

Ele precisou estudar fora da cidade e hoje ajuda na dinâmica junto com os pais. “Desde a infância sempre demonstrei interesse. Quando eu falava no início lá, tinha entre 10 e 12 anos, ninguém conhecia a produção da enologia. Fiz disso uma profissão, depois que me formei voltei pra região”, afirma.

A evolução na cidade teve início com o apoio do Projeto Empreender, que disponibilizou recursos para investimentos, além de prestar consultoria e assessoria.

“Nós tínhamos produtores de uva que estavam produzindo vinho e precisavam desenvolver esse produto com maior qualidade. Em 2009, nos tínhamos vinte mil quilos de produção de uvas aqui. O resultado em 2017, é que nós já partimos para 214 mil quilos”, aponta a consultora do Facisc/Sebrae Lenir Pavan.

Ampliar o cultivo da uva faz parte também do cuidado que os produtores locais têm com a bebida que desenvolvem. “Porque a gente quer produzir uma uva de mais qualidade, sem agrotóxico. A gente produzindo em casa, a gente sabe que tá produzindo”, afirma vitivinicultor Danilo Busnello.

Serviço

Feira de Economia Solidária

  • O que faz: Atividade que reúne produtores da região de Criciúma para vender frutas, verduras e legumes frescos, produtos orgânicos e artesanato. A feira ocorre durante as quartas-feiras, no estacionamento entre os blocos Administrativo e da Biblioteca, das 16h às 22h
  • Sede: Criciúma

Projeto: Empreender - Núcleo de Vitivinicultores de Quilombo

  • O que faz: O núcleo trabalha com o objetivo de desenvolver tecnologias para produção de vinhos de qualidade diferenciada, aumento na produção de uva, vinho e de mudas de parreira.
  • Sede: Quilombo
  • Início das atividades: 2009
Fonte: G1 SC em 23/05/2017


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+