Agricultura biológica cresce 8 por cento em Portugal

 

Nos últimos anos, a crescente preocupação dos cidadãos europeus com a segurança alimentar e a qualidade ambiental teve um impacto significativo no crescimento da agricultura biológica na União Europeia, que se transformou num dos sectores mais dinâmicos da União Europeia. Considerado hoje como um dos sectores mais dinâmicos no espaço comunitário, a agricultura biológica ocupa 3,6 por cento dos terrenos cultivados e regista um aumento anual de 30 por cento em termos de produção. Produtos químicos de síntese e organismos geneticamente modificados não são utilizados neste tipo de agricultura, que visa minimizar a produção de impactos ambientais negativos na natureza. Em Portugal a agricultura biológica também conhece algum desenvolvimento. Mas o mercado ainda é pequeno. O preço dos produtos biológicos é um dos factores que afasta os consumidores. Contudo, «quem tem preocupações ambientais percebe que a agricultura biológica pode ser uma resposta a esses problemas», salienta Alfredo Cunhal, vice-presidente da Interbio – Associação Interprofissional para a Agricultura Biológica. Volume de vendas de 25 milhões Apesar do terreno que o sector tem vindo a conquistar, esta área tem ainda pouca expressão em termos nacionais. Corresponde a menos de um por cento do cabaz alimentar português. O volume de vendas não ultrapassa os 25 milhões de euros, dos quais mais de 50 por cento são referentes a produtos importados. As estimativas são avançadas por Alfredo Cunhal, com base nos inquéritos que são realizados aos associados da Interbio. A tendência vai mesmo assim no sentido do crescimento. «É expectável que, nos próximos 10 anos, o País consiga chegar aos 7 a 8 por cento em termos de consumo», vaticina. Apesar de dispor de condições favoráveis para a produção biológica, pelas suas potencialidades agro-ecológicas, diversidade de fauna e flora e pelo facto de muitas das formas tradicionais de produção estarem próximas deste tipo de agricuktura, Portugal ainda está longe de países como a Noruega ou a Dinamarca, em que o mercado já vale mais de 25 por cento. De qualquer modo, destaca Alfredo Cunhal, «ninguém pode negar que o mercado sendo pequeno, é cada vez maior». De 2004 para 2005, a agricultura biológica cresceu 8 por cento, tendo duplicado desde 2003, segundo dados disponibilizados pela Confederação dos Agricultores de Portugal. Só entre 2003 e 2005 a área agrícola dedicada ao modo de produção biológico aumentou 93 por cento.

Autor / Fonte Tânia Nascimento Portal Ambiente

 


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+