Emater aponta potencial e desafios do orgânico/Paraná

A engenheira agrônoma Leila Aubrift Klenk, da Emater/Lapa, participa de projeto de implantação do feijão orgânico no Estado do Paraná. Ela apresentou ontem resultados obtidos em 16 municípios. A produtividade por hectare (1.660 kg/ha) superou a produtividade média do sistema convencional (1.046 kg/ha) e a produtividade média do próprio sistema orgânico do Paraná (1.035 kg/ha). Há um longo caminho a ser percorrido - avisa Leila - mas ela não tem dúvida que o orgânico é viável. Está usando a variedade Iapar 31 que é resistente à doenças. Na opinião de Leila, a pesquisa, daqui para frente, será muito demandada à gerar conhecimentos mais específicos para o feijão orgânico. Embora os níveis de produtividades do feijão orgânico não sejam muito superiores, é no custo de produção que a vantagem se acentua em favor do orgânico, por ser bem mais baixo: R$ 360,00/ha, comparado aos R$ 710,00/ha no cultivo convencional. ‘‘O que se observa - diz Leila Klenk -, é um grande potencial para produção de feijão orgânico no Paraná. Fora do projeto oficial, existem mais 98 produtores que em sua maioria têm apoio de ONGs. Esses plantios estão nos municípios da Lapa, União da Vitória, Irati, Guarapuava, Ponta Grossa, Ivaiporão e Londrina.(fonte: Folha do Paraná de Londrina - publicado quarta-feira, 22/8/2001)

Mais notícias   Associe-se