Prefeitura amplia cardápio das Emebs em Jundiaí

A Prefeitura de Jundiaí comemora neste Dia da Alimentação o lançamento de um novo projeto: a Horta Inovadora, que contempla a inclusão de plantas alimentícias não convencionais (PANCs) no cardápio dos alunos das Escolas Municipais de Educação Básica (Emebs). A iniciativa incrementa o cardápio com espécies ricas em minerais e vitaminas, reconhecidas com propriedades fitoterápicas, com o objetivo de multiplicar o conhecimento entre as famílias para uma alimentação rica e saudável.

Apresentado aos servidores da Unidade de Gestão de Educação nesta terça-feira (16), com palestras e oficinas – no Complexo Argos e no Vale Verde – o projeto supera as expectativas no dia do lançamento. “Estamos implantando a Horta Inovadora, com a inclusão das plantas que são ricas em nutrientes e não possuem o reconhecimento devido. Para uma boa formação, é necessária uma boa alimentação, que é realizada a partir dos cozinheiros educadores de cada escola, que preparam os produtos recebidos do Vale Verde, produzidos de forma orgânica, saudável e que mudam hábitos alimentares para a saúde de toda uma geração”, disse o prefeito Luiz Fernando Machado, durante abertura de evento sobre o Dia da Alimentação.

Segundo a gestora da pasta, Vasti Ferrari Marques, a merenda escolar de Jundiaí é diferenciada e alcança um novo patamar. “A alimentação saudável faz parte da educação. A sociedade está se voltando ao que é natural, orgânico, de conhecimento antigo. As PANCs fazem parte do conhecimento popular que foi se perdendo com o avanço do tempo e das tecnologias. Esses alimentos, ricos em nutrientes, serão apresentados às crianças nas hortas escolares, para que conheçam, consumam e disseminem as propriedades nutricionais”, comenta.

De acordo com a diretora do Departamento de Alimentação, Maria Angela Delgado, o projeto terá, nesta primeira etapa, cultivo na horta escolar das PANCS, sendo que 30 receberão as plantas produzidas no Vale Verde. “A intenção é que esses alimentos sejam incluídos no cardápio a partir do primeiro semestre do próximo ano, como forma de enriquecer a alimentação, usando de fontes orgânicas”, comenta a diretora, lembrando que algumas folhas como o conhecido ora-pro-nobis, possuem mais proteínas que algumas carnes.

Encantada com as propriedades nutricionais das PANCs, a merendeira Regina Aparecida Ferreira quer colocar em prática os conhecimentos adquiridos. “Usar essas plantas para enriquecer ainda mais a alimentação das crianças é uma forma muito gratificante de encerrar a minha carreira. Vou me aposentar no próximo ano e vejo que a geração de profissionais tem um trabalho rico para ser realizado pela educação e pela saúde de gerações”, comemora.

Para a produção das PANCs, o Vale Verde irá destinar 5 mil metros quadrados para o cultivo de 20 espécies entre beldroega, ora-pro-nobis, serralha entre outras. Um dos responsáveis pela implantação da novidade é Daniel Filardi, gestor ambiental e pedagogo. “Até o início do próximo ano faremos plantios e experimentos para identificar quais as variedades que mais se adaptam ao clima e terreno de Jundiaí e que sejam ricas nutricionalmente e práticas para a inclusão na merenda”, detalha.

Ao todo, o Vale Verde tem 17 mil metros quadrados cultivados com variedades convencionais que abastecem Emebs e creches da rede municipal de ensino. A meta, até o início do próximo ano é alcançar 25 mil metros e ampliar em 10% a produtividade.

Fonte:Portal Jornal Jundiaí em 17-10-2018

Leia Mais:



SIGA NOS

Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço gratuito de Cristiano Cardoso e L&C Soluções Socioambientais.