Ovos pequenos ganham valor no mercado

 

Oriundos de aves jovens em início do ciclo de postura, eles podem se tornar uma importante fonte de renda para os produtores, com a agregação de valor e criação de marca, como fez a Fazenda da Toca, que passa a comercializar os ovos orgânicos pequenos em embalagens com informações adicionais sobre seu sistema produtivo e qualidade do produto

O setor de ovos comerciais começa a dar os primeiros passos para valorização de um produto até então relegado a margem desse mercado: os chamados ovos pequenos. Botados pelas poedeiras jovens entre a 19ª e 25ª semana de seu ciclo reprodutivo, caracteristicamente eles pesam em torno de 45 gramas, distante dos padrões desejáveis do consumidor. O produto acaba sendo comercializado a preços bem menores que os do tipo grande ou são destinados à indústria de processamento. Em ambos os casos, os valores praticados normalmente figuram abaixo do custo de produção. Esses ovos possuem as mesmas qualidades nutricionais do tipo grande (55 g a 59 g) ou extra (60 g a 65 g), os mais comuns nas gôndolas dos supermercados. O fato de serem pequenos apenas reflete um processo de maturação sexual da ave, que caminha para atingir o estágio pleno dentro de seu ciclo reprodutivo.

Uma mudança nesse cenário vem sendo encabeçada pela Fazenda da Toca, propriedade do ex-piloto de Fórmula 1 Pedro Paulo Diniz, sediada em Itirapina (SP), destinada a produção de agricultura orgânica e de ovos orgânicos em modelo livre de gaiolas. A Toca criou uma embalagem de 12 unidades específica para esse tipo de ovo, buscando despertar nas pessoas a consciência do consumo responsável. “Os ovos orgânicos pequenos muitas vezes sofrem o mesmo preconceito das hortaliças dito ‘feias’, ou seja, que estão fora de seu padrão estético e acabam por serem rejeitadas pelo consumidor ou tendo pouco saída”, aponta Fernando Bicaletto, diretor-executivo da Fazenda da Toca.

Para sensibilizar o consumidor quanto à importância desse produto, a empresa desenvolveu formas adequadas para sua apresentação nas gôndolas dos supermercados, seja na própria embalagem ou em materiais contendo informações adicionais. A ideia é despertar a relevância do consumo consciente, tendência muito forte na Europa e que já começa a despontar também no mercado brasileiro. “Com o lançamento dos ovos pequenos em embalagens de uma dúzia, nós contamos uma história ainda pouco conhecida do público e convidamos o consumidor para um importante diálogo sobre temas fundamentais da atualidade, como combate ao desperdício, condições de produção e bem-estar animal”, explica Bicaletto.

Agregação de valor

Os ovos pequenos da Fazenda da Toca eram comercializados anteriormente em bandejas de 30 dúzias, sem marca ou agregação de valor. Com a nova política adotada, o objetivo é demonstrar ao consumidor que ele tem uma participação ativa no estabelecimento de um preço sustentável para o produto, fortalecendo a produção de alimentos orgânicos no País, bandeira da Toca, e que este é um produto proveniente de relações justas de trabalho em todas as etapas produtivas. Segundo reforça o seu diretor-executivo, a venda desse produto no mercado convencional ocasionava um grande desperdício de valor por se tratar de um produto orgânico, feito com o máximo respeito aos animais e meio ambiente e às pessoas envolvidas no processo. “Esse desperdício de valor, naturalmente, é muito prejudicial porque enfraquece a cadeia de orgânicos como um todo, uma vez que impõe um valor insustentável para os produtores, que se veem obrigados a comercializar os ovos pequenos a preços abaixo do custo”, indica Bicaletto.

Os ovos pequenos se posicionam em patamares de preço até 12% abaixo dos praticados em ovos tamanho padrão, tendo como base o produto orgânico. Há variações relativas a aspectos como logística, região de produção e comercialização e até ponto de venda, segundo informações do diretor-executivo da Toca. Em termos de peso líquido há equivalência, já que o produto pequeno é vendido em embalagens de 12 unidades, enquanto o tipo grande traz dez ovos. “Com esse produto temos a oportunidade de nos aproximarmos ainda mais dos nossos consumidores, esclarecendo questões importantes sobre a produção orgânica e fortalecendo o consumo consciente e diálogo franco; ganham o produtor e o consumidor”, ressalta Bicaletto.

O diretor-executivo ressalta que os ovos pequenos têm encontrado uma aceitação muito positiva no mercado desde o seu lançamento no final de março desse ano. Para o executivo, mais do que incrementar as vendas, o objetivo é promover uma campanha de esclarecimento junto aos consumidores, cada vez mais atentos a uma alimentação saudável e a questões como bem-estar animal. “Julgamos ser uma iniciativa válida, uma vez que somos um dos maiores produtores de ovos orgânicos do País, contribuindo assim para esse debate, contando a história desse produto sob o ponto de vista do bem-estar animal e do consumo consciente”, conclui Bicaletto.

Produção de ovos certificada

A Fazenda da Toca foi a primeira empresa brasileira a obter o selo Certified Humane pela modalidade produção caipira. A certificação atesta o cumprimento dos melhores padrões de bem-estar animal em todo o mundo. Segundo Bicaletto, todo esse cuidado garante às aves a melhor qualidade de vida, refletindo também em ovos supersaudáveis, saborosos e que faz com que as pessoas se sintam bem ao consumi-los. “Na Fazenda da Toca sempre dizemos que a nossa prioridade é a galinha, o ovo é consequência”, comenta o seu diretor-executivo. Na propriedade, de acordo com Bicaletto, tudo é feito que as poedeiras tenham a melhor qualidade de vida: grãos somente orgânicos, cuidados veterinários só com homeopatia, espaço à vontade para ciscarem livremente e todos os detalhes para que possam expressar seus comportamentos naturais e viver uma rotina agradável e tranquila.

 

Fonte:Redação AI

 


Leia Mais:

SIGA NOS