IMG-LOGO

Produção de ovos orgânicos é alternativa viável para agricultores camponeses


Evento realizado em Seberi reuniu pesquisadores da Embrapa, técnicos da Emater e camponeses

 

Entre os dias 18 e 19 de dezembro a Cooperbio – cooperativa camponesa localizada na Linha Tesoura, interior do município de Seberi – sediou curso e seminário voltados às Boas Práticas em Produção de Ovos Orgânicos. A realização contou com a parceria da Embrapa, Emater e Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA). O público participante foi formado essencialmente por camponeses e camponesas interessados na diversificação da produção e no fortalecimento da agroecologia.

 

João Dionísio Henn, analista de Transferência de Tecnologia da Embrapa Suínos e Aves, que atuou na atividade ao lado do pesquisador Jorge Vitor Ludke, falou a respeito: “A avicultura de postura é uma atividade muito adequada para a diversificação de culturas na pequena propriedade, porque possibilita ser conduzida em uma área relativamente pequena, com aproveitamento da mão de obra existente, servindo tanto para o envolvimento de pessoas em idade mais avançada quanto para a inserção de jovens que estão iniciando sua participação na lógica de trabalho do espaço.”

 

Seja como uma atividade agregadora ou mesmo como atividade principal na propriedade, “a iniciativa de produção de ovos caipiras ou ovos orgânicos oportuniza a agregação de valor superior” em relação ao produto convencional, explica Henn. “O nicho ainda é pequeno, mas é crescente, como já temos tido a oportunidade de identificar, há demanda e público interessado considerável”, explica o analista da Embrapa, dando como exemplo varejistas do oeste de SC que tem buscado produtos orgânicos e não tem encontrado oferta suficiente para suprir suas demandas.

 

Pablo Fernandes, jovem camponês da comunidade de Barreiro Grande, município de Ametista do Sul, confirma a ideia: “É um projeto novo que se apresenta para nós, oportunizando uma renda extra para a família, sendo um trabalho mais leve para aqueles que já estão em idade avançada e uma ao iniciativa para fortalecer o processo de sucessão familiar, como no nosso caso, que está possibilitando a implantação de um segundo aviário na unidade produtiva da família”. Para os Fernandes, que já tem na avicultura a principal atividade, os ovos orgânicos abrem uma série de novas possibilidades, fortalecendo a certeza de que a agroecologia é o caminho certo para a produção de alimentos para a subsistência da família e também como alternativa econômica de produção com valor agregado.

 

Débora Varoli, integrante da gestão da Cooperbio e dirigente do MPA, avaliou a importância do curso especialmente pela amplitude do público que foi atingido nos dois dias de atividades: “Com eventos como esse vamos construindo um know how de conhecimento técnico em cima de uma determinada área, que vai ajudando os agricultores camponeses nos diferentes municípios, conduzindo a um orquestramento territorial fortalecido e criando ambiente ondem muitas pessoas passam a conhecer e trabalhar sobre o tema”. A participação de jovens camponeses e camponesas, tanto que já estão à frente da gestão das unidades produtivas familiares, quanto daqueles que estão se preparando para dar o próximo passo na sucessão familiar foi saudada pelos organizadores.

 

Também mereceu destaque na reflexão da dirigente o espaço que a avicultura de postura ocupa como oportunidade de diversificação às monoculturas que se impuseram nas últimas décadas na região e limitaram a autonomia da produção camponesa: “Quando falamos em produção de ovos e aves, estamos falando de uma tradição que sempre esteve presente na vida do camponês e da camponesa, que agora precisamos ressignificar e dar consequência, inserindo tecnologia e pesquisa”. Nesse sentido a construção de parcerias que vão tecnificando a cadeia de produção agroecológica é considerada decisiva e as alianças estretégicas construídas são valorizadas e incentivadas, a exemplo do que já se tem procurado fazer com instituições de renome como a Emater e a Embrapa (tanto com a unidade voltada à Suínos e Aves, quanto com a unidade Clima Temperado, que já tem um longo histórico de ações juntos com as cooperativas ligadas ao movimento).

 

O curso de Produção de Ovos Orgânicos contempla uma demanda específica da região norte do RS, onde a Cooperbio está aprimorando um projeto de produção de ovos junto à base do MPA, e amplia para outras regiões o modelo desenvolvido pelo campesinato. O projeto prospectado pelo MPA prevê a implantação de unidades de produção onde são alojadas galinhas caipira, com espaços adequados de repouso e campo cercado para movimentação, contando com alimentação balanceada e utilização de itens disponíveis na própria unidade produtiva para sustento dos animais (como o milho crioulo, por exemplo), orientação técnica de manejo através das cooperativas e demais parceiros, e, por fim, o estabelecimento de uma cadeia produtiva regional centralizada em um centro de beneficiamento e distribuição cujas instalações e equipamentos já estão efetivados em Ametista do Sul.

 

Fonte:Brasil de Fato por Marcos Antonio Corbari em 07 de Janeiro de 2020 com edição de Kátia Marko

Leia Mais: