Semana de Ovinocaprinocultura

 

Homeopatia traz vantagens à veterinária

Sobral(Sucursal) - A produção de leite de cabra em base orgânica foi apresentada pela pesquisadora do Laboratório Fauna e Flora Arenales, de São Paulo, Maria do Carmo Arenales, durante a programação de ontem da IV Semana da Caprinocultura e Ovinocultura Brasileira. A pesquisadora fez palestra sobre "A produção de leite de cabra e a viabilidade da homeopatia na medicina veterinária".

O evento é realizado pela Embrapa Caprinos. Em sua exposição, Maria Arenales destacou que a experiência vem sendo desenvolvida nos Estados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. "O mercado e os consumidores estão interessados nos alimentos com resíduos controlados", disse ela.

Segundo explicou, a produção orgânica consiste no tratamento da cabra com homeopatia e fitoterapia; na forma de criação dos animais, que dormem presos e são soltos durante o dia; e na adubação do solo com esterco das próprias cabras. Ela também destacou que, em Sobral, a Embrapa está realizando pesquisas para aplicar a homeopatia na caprinocultura.

A IV Semana da Caprinocultura e Ovinocultura Brasileira foi aberta na noite de segunda-feira, na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB). Dentre as autoridades presentes estiveram o delegado federal de Agricultura, Francisco das Chagas Silva; o secretário de Desenvolvimento Rural do município, Pedro Josino Pontes; e o chefe geral da Embrapa Caprinos, Aurino Alves Simplício. O evento prossegue até o dia 24, no auditório central da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), no Campus da Betânia. O público é formado por técnicos (90%), estudantes (5%) e produtores (5%).

SUSTENTADO - A pesquisadora Maria Arenales explicou que a veterinária homeopática segue basicamente os mesmos princípios da medicina para humanos: vê o animal como um todo sustentado pela força vital. E, ao contrário do que muitos pensam, a homeopatia aplicada na veterinária é uma realidade que tem apresentado excelentes resultados práticos, desmistificando alguns conceitos e apresentando vantagens sobre a medicina alopática, tais como os níveis de cura e a redução dos custos no tratamento. "Existe uma falsa crença que sugere ser o medicamento homeopático de ação lenta, razão pela qual o tempo de resposta do organismo para com o remédio deixaria a desejar. Na verdade, esse é um preconceito gerado por uma desinformação popular, que muitos contrários à homeopatia gostam de divulgar".

A pesquisadora garante que a ação é rápida e eficiente e que já está comprovado que o tempo de reação do organismo é proporcional ao tempo da afecção: "Se estivermos diante de um processo agudo instalado em pouco tempo, por exemplo, uma pneumonia, teremos a resposta em poucas horas; porém, se a afecção estiver instalada há anos, revelando-se um processo crônico, como uma alergia, teremos a resposta do organismo em algumas semanas e a cura instalada em meses, dependendo de cada caso".

Maria Arenales afirma que outro grande preconceito refere-se ao uso da homeopatia somente em afecções benignas, onde não existe risco de vida, deixando a alopatia agir em patologias graves. "Essa é mais uma avaliação sem sentido já que a rapidez da resposta do organismo frente ao medicamento homeopático em casos de patologias agudas pode retirar o animal do perigo eminente em curto espaço de tempo. Assim, é preciso salientar o conceito de curável na homeopatia".
Saiba mais sobre Homeopatia: http://www.ipetrans.hpg.ig.com.br/IPETRANS-174.htm


fonte: Diário do nordeste 03/10/2004


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+