Alimentos orgânicos de 38 assentamentos na banca em Maceió


Mais de 250 feirantes iniciam 19ª edição da Feira da Reforma Agrária que acontece na Praça da Faculdade

Agricultores de 38 assentamentos comercializam alimentos orgânicos na 19ª Feira da Reforma Agrária, que acontece na Praça da Faculdade, no bairro do Prado, em Maceió. Mais de 250 feirantes vindos dos acampamentos e assentamentos da Reforma Agrária de todas as regiões de Alagoas comercializam toneladas de produtos.

“A praça já está tomada pelos frutos da luta pela terra em Alagoas”, destacou Margarida da Silva, da Direção Nacional do Movimento Sem Terra. “Esse ano a nossa feira superou as expectativas, no número de feirantes e também na variedade de produtos. Quem vier na praça esses dias vai encontrar um pouco de tudo: macaxeira, batata, laranja, banana, farinha, artesanato, além das mudas de plantas frutíferas e ornamentais, tapioca, bolos e doces”.

A população e Maceió poderá comprar os produtos até o próximo sábado (8). A feira organizada pelo MST já supera os números da última edição, realizada em 2017. “A nossa 19ª edição é a consolidação da Feira no calendário da capital. Quem passa por aqui consegue enxergar de perto o que é produzido nas áreas da Reforma Agrária em nosso estado”, comentou Margarida.

Comercializados abaixo do preço do mercado convencional, a feira agrada quem passa por ela. “Eu adoro essa feira, não perco nenhum ano”, disse Elita dos Santos, com as sacolas já cheias de laranja, batata, graviola e banana. “Esse ano a feira está um barato, os preços e os produtos estão ótimos”, comentou a visitante da Feira.

“Queremos por mais um ano estreitar o diálogo com a população em Maceió. A feira possibilita a melhor maneira de dialogar com uma diversidade de sujeitos sobre o papel e a importância da reforma agrária em nossa sociedade: a partir da produção de alimentos saudáveis de forma acessível ao povo”, explicou Margarida.

Restaurante popular e apresentação cultural
A feira conta ainda com o restaurante popular, com café da manhã, almoço e janta da culinária da roça, viveiro de mudas, venda de livros, além do Festival de Cultura Popular que, em 2018, conta com dois polos de atividades.

“Esse ano além do palco na praça central, temos o palco que está homenageando Raquel Xukuru-Kariri, liderança indígena de Alagoas. Esse palco deve funcionar todas as tardes, com uma diversidade de atividades e apresentações de grupos culturais, no meio da feira”, destacou José Roberto, da coordenação do MST. “Queremos com esse espaço destacar o papel da cultura na luta pela Reforma Agrária Popular”, comentou.

Entre as atrações confirmadas, a Feira conta com a presença de Dona Zeza do Coco, Patrimônio Vivo da Cultura Alagoana, que sobe ao palco na noite desta quarta-feira (5), do artista sem-terra Bento Forrozeiro, além de diversos artistas locais que participam do Festival de Cultura Popular na Feira.

Em setembro 5, 2018

Leia Mais:

SIGA NOS