Setor orgânico dos EUA registra crescimento estável de 6,4% em 2017



De acordo com a Pesquisa da Indústria Orgânica de 2018 da Organic Trade Association, divulgada recentemente, os consumidores norte-americanos encheram seus carrinhos de supermercados com produtos orgânicos no último ano.

As vendas orgânicas nos EUA atingiram um novo recorde de US$ 49,4 bilhões em 2017, um aumento de 6,4% em relação ao ano anterior e refletindo novas vendas de quase US$ 3,5 bilhões. As vendas de produtos orgânicos não alimentícios tiveram um aumento de 7,4%, atingindo a marca de US$ 4,2 bilhões, estabelecendo mais uma nova referência.

A taxa de crescimento para as vendas de alimentos orgânicos ficou abaixo do ritmo de 9% em 2016, tendo sofrido o impacto do crescimento acentuadamente lento na grande categoria de laticínios e ovos orgânicos. No entanto, está bem acima do mercado global de alimentos, que subiu apenas 1,1%. Os orgânicos aumentaram a sua participação no mercado total de alimentos e agora responde por 5,5% dos alimentos vendidos nos canais de varejo nos EUA.

“O orgânico chegou. E todos estão prestando atenção”, disse Laura Batcha, CEO e diretora executiva da Organic Trade Associaion. “Nossa pesquisa mostra que agora existem produtos orgânicos certificados no mercado que representam todos os estágios do ciclo de vida de um produto ou uma empresa – desde veteranos da indústria até startups que são pioneiras em inovações e benefícios de vanguarda e ganham espaço nas prateleiras pela primeira vez. Os consumidores adoram orgânicos e agora podemos escolher esse tipo de produto em praticamente todos os corredores da loja”, afirma.

Este ano marca o vigésimo ano da pesquisa da Organic Trade Association. A pesquisa, amplamente considerada como a visão mais abrangente do setor orgânico de varejo na América, mediu pela primeira vez as vendas orgânicas em 1997. Naquele ano, as vendas ficaram em US$ 3,4 bilhões; As vendas de mais de US$ 45 bilhões em 2017 refletem um crescimento de quase 15 vezes. Somente na última década, o mercado orgânico dos EUA mais que dobrou de tamanho.

O setor prosperou desde o advento de um padrão federal rigoroso e abrangente para produção orgânica e da introdução do selo orgânico no mercado. Em 1990, quando a Lei de Produção de Alimentos Orgânicos foi assinada, autorizando o Programa Orgânico Nacional do Departamento de Agricultura dos EUA, as vendas do setor nos EUA totalizaram apenas US$ 1 bilhão. Em 2002, quando os padrões orgânicos federais finais foram implementados e o selo orgânico do USDA foi introduzido, as vendas subiram para US$ 8,6 bilhões. Avance rapidamente para o presente e você verá mais de 24.000 operações orgânicas certificadas em todo o país, atendendo a um mercado de quase US$ 50 bilhões, cuja taxa de crescimento anual ultrapassa regularmente a do mercado total de alimentos.

O mercado orgânico está crescendo e amadurecendo. Novas expansões de canal e produto estão se tornando mais incrementais ao invés de revolucionárias. O desempenho do mercado da Organic revelou a maturidade ou os diferentes estágios de desenvolvimento de cada categoria em alimentos orgânicos, o aumento do desempenho em algumas áreas e a mudança em outras para refletir novas tendências e desafios.

“O mercado de alimentos orgânicos terá um ritmo de crescimento mais estável à medida que amadurece, mas continuará a superar a taxa de crescimento do mercado de alimentos em geral”, observou Batcha. “A demanda por produtos orgânicos está florescendo à medida que os consumidores buscam alimentos nutritivos e limpos que são bons para sua saúde e para o meio ambiente. Essa demanda está impulsionando a inovação, e agora existem tantas opções que todos podemos comer orgânicos no café da manhã, almoço, jantar, lanches e tudo mais”.

Orgânicos mais consumidos
As frutas e verduras continuaram sendo a maior categoria do setor, registrando US$ 16,5 bilhões em vendas em 2017, com crescimento de 5,3%. As vendas de feijões secos orgânicos, juntamente com frutas e vegetais secos, foram um subsetor de destaque na categoria, aumentando em 9% e refletindo a crescente demanda por leguminosas e produtos à base de plantas.

A categoria de laticínios e ovos orgânicos teve um dos anos mais desafiadores em 2017. Embora ainda seja a segunda maior categoria orgânica de vendas, as vendas de lácteos e ovos orgânicos cresceram apenas 0,9%, para US$ 6,5 bilhões. O crescimento lento nesta categoria orgânica fundamental agiu como um empecilho para o crescimento da indústria global.

Muitos produtores entraram no mercado de lácteos orgânicos nos últimos anos, atraídos pelo crescimento constante do setor e pelos altos retornos dos produtos orgânicos. Essa nova onda de oferta, no entanto, chegou ao mercado justamente quando a demanda por produtos lácteos orgânicos começou a mudar para ofertas mais baseadas em vegetais.

O mercado de ovos orgânicos enfrentou desafios únicos. Os ovos criados em pasto, que claramente delineiam práticas humanas como o acesso a áreas externas, apresentaram forte concorrência em 2017. Os consumidores perceberam que o orgânico exige várias práticas humanitárias, incluindo acesso ao ar livre para gado e aves. No entanto, os requisitos, conforme escritos nos atuais padrões orgânicos federais, não são claros e aplicados de maneira inconsistente. A indústria orgânica trabalhou para promover a regra das Práticas Orgânicas de Criação de Gado e Avicultura para esclarecer as práticas necessárias, mas a regra foi abruptamente retirada pelo Departamento de Agricultura dos EUA em 2017. O silenciamento desta regulamentação pelo USDA, amplamente apoiado pelo setor orgânico, levou milhões de consumidores a questionar o significado e a relevância do selo USDA Organic no que se refere aos laticínios e produtos derivados de ovos. Essa confusão e incerteza diminuíram a demanda do consumidor por esse produtos.

Os consumidores estão bebendo mais bebidas orgânicas saudáveis, especialmente sucos frescos. As vendas desses produtos aumentaram 10,5% no ano passado, para US $ 5,9 bilhões, tornando as bebidas a terceira maior categoria orgânica e uma área de inovação e adaptação das tendências de saúde.

Além do setor alimentício
O mercado de não alimentos orgânicos cresceu 7,4% em 2017, superando com folga o crescimento de 1,9% no mercado mais amplo. Nos últimos dez anos, o tamanho da indústria não alimentícia orgânica mais do que duplicou. A fibra orgânica continua a ser o produto de maior e de mais rápido crescimento na categoria – 11%, para US$ 1,6 bilhão – com a maioria das vendas em algodão orgânico. Suplementos dietéticos orgânicos aumentaram 9%, conforme a demanda aumentou para alimentos integrais ou suplementos à base de plantas.

“Os consumidores não querem comer apenas alimentos limpos, mas também exigem transparência, ingredientes limpos e produtos vegetais em todos os aspectos de suas vidas”, disse Batcha. “O mercado de orgânicos não alimentares deu grandes passos, mas ainda há uma grande oportunidade para mais crescimento neste setor”.

A pesquisa deste ano foi realizada de 25 de janeiro de 2018 até 22 de abril e produzida em nome da Organic Trade Association pelo Nutrition Business Journal (NBJ), com 250 empresas participantes.

Fonte: CI Orgânicos, texto traduzido e adaptado por Jéssica Silvano.

Leia Mais: