Produtos orgânicos e naturais estão mais acessíveis em BH

Quem tem a oportunidade de ir a um sítio ou uma fazenda no interior de Minas Gerais sabe como é bom comer frutas e verduras colhidas na hora

O gosto e o cheiro são diferentes, e a sensação é a de se estar ingerindo algo limpo, sem intervenções químicas. Essa experiência, antes desfrutada só por quem podia estar próximo ao campo, está cada vez mais acessível na capital. Hoje, na cidade, é possível fugir dos industrializados e encontrar hortaliças, grãos, laticínios, geleias, molhos e todo tipo de cosmético produzidos de forma completamente natural, sem o uso de agrotóxicos ou adubos químicos.

Um dos motivos para a procura dos belo-horizontinos por uma alimentação saudável pode ser uma reação à piora no estilo de vida do brasileiro nos últimos anos. Entre 2010 e 2016, a obesidade teve uma expansão preocupante de 60% na população, segundo uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde.

Para a nutricionista Mônica Vitorino, a alimentação maquiada por produtos químicos causa doenças e debilidades físicas e mentais. “Temos jovens com a idade fisiológica velha. Ao procurarmos produtos biodegradáveis, produzimos menos lixo, respeitamos o organismo, os animais e a sustentabilidade”, afirmou.

A internet e as redes sociais são aliadas nessa procura e ajudam a encontrar agricultores que trazem de sítios próximo à capital e entregam direto aos consumidores.

Mudança. Quando a arquiteta urbanista Eveline Trevisan, 49, começou a preocupar-se com o que estava “colocando para dentro do corpo”, em 2008, ela lembra que fazia uma “via-sacra” nas feiras para encontrar alimentos diretamente dos produtores. Hoje, ela faz toda a compra de casa no site Dahorta e gasta cerca de R$ 150 por semana para alimentar cinco pessoas. “Compro pão, frutas, hortaliças, arroz, feijão, queijo, leite e iogurte”, destacou a arquiteta, que passou a proposta de “comer bem” para a filha, a empresária e professora de yoga Nina Trevisan, 27.

Assim que ela se casou, há cerca de um ano, começou a comprar cestas naturais e adaptar sua dieta para os alimentos orgânicos. “Morei na França, e lá tinha supermercados inteiros dedicados aos produtos naturais. Descobri que eles iam muito além dos alimentos”, contou. Hoje, quase nada do que Nina consome é industrializado – de vegetais e grãos a xampu, pasta de dente, produtos de limpeza e sabonetes. “Você assume um compromisso com uma alimentação limpa, e, quanto mais compra, mais barato fica. Hoje, recebemos os produtos em casa”, afirmou.

O casal Euler Andrés e Iara Rolim é um dos pequenos produtores que fazem essa entrega em domicílio. Eles produzem desde 2005 em Entre Rios de Minas, na região Central do Estado, e, até meados de 2010, só recebiam pedidos por telefone. Como as demandas cresceram, eles criaram o site Dahorta, em que oferecem uma feira virtual de orgânicos e recebem cerca de cem encomendas por semana.

O cliente escolhe o que vai querer no site de sexta-feira a domingo, e, na terça, Andrés chega com seu chapéu para a entrega. “Uma vez, meu pai chegou em uma casa e um menininho estava de chapéu também, porque gostava de ver meu pai assim toda semana. É uma relação que vai além da própria comida”, contou o publicitário Manuel Rolim, filho do casal.

Vendas. A capital conta com feiras livres de orgânicos, como a Feira Terra Viva, que ocorre aos sábados, das 9h às 13h no Espaço Suricato, na rua Souza Bastos, 175, no Floresta (www.facebook.com/redefeiraterraviva).

COZINHA EM CASA

Bake a Choice. Para quem não sabe cozinhar ou não tem tempo de se organizar, mas não abre mão da alimentação saudável, Ariadne Fermino, 23, vai até a casa do cliente para preparar a comida da semana inteira com produtos naturais. O pacote mais barato custa R$ 120 e garante refeições para cinco dias.

Curso. Ariadne também oferece uma aula para ensinar a fazer o cardápio semanal e as compras, a organizar o congelador e a cozinhar sem desperdício de tempo nem de ingredientes. Mais informações em: www. facebook.com/bakeachoice

Pães. Também tem gente em BH fazendo pães com fermentação natural. A Padaria Artesanal Ugarte é uma boa opção. Contatos pelo telefone (31) 97149-2069.

Preocupação com a natureza e com o agricultor local

A Coopas (Cooperativa de Alimentos Saudáveis), trabalha com um sistema chamado CSA – Comunidade Sustenta Agricultura. A família de produtores selecionada para abastecer os consumidores do grupo é de reassentamento agrário e recebe investimentos dos cooperados.

“Esse é um movimento internacional com força na Europa e no Japão, que preconiza a relação direta dos produtores com o consumidor, um comércio justo e com custo reduzido, por não ter intermediador”, explicou o presidente da Coopas, Danilo Chaves, 37. Ele ressalta que o preço dos produtos da Coopas está muito abaixo dos orgânicos vendidos em supermercados. “Nós nos preocupamos com a saúde. O Brasil é o maior consumidor do mundo de agrotóxico”, afirmou.

Formada em logística, Elaine Carvalho, 40, começou com a produção de sabonetes artesanais por não aguentar mais ver a grande quantidade de mercadorias que iam para o lixo na perfumaria em que trabalhava. Ela acabou percebendo que os sabonetes naturais eram a melhor opção para as espinhas que ela tinha. “Sempre comprei mil coisas; e o sabonete de Aloe vera foi o primeiro a ter resultado. Salvou minha pele, minha higiene e, hoje, me salva financeiramente”, comemorou.

A cosmetóloga Franciele Rayane explica que os produtos industriais têm químicas nocivas prejudiciais para o corpo. “Tudo que passa pela pele vai para a corrente sanguínea, como qualquer outro alimento que a gente consome”, apontou.

OPÇÕES NATURAIS EM BH

Veja alguns fornecedores de produtos orgânicos na capital:

PARA COMER

Da Roça Bicuiba
Os produtores têm um sítio no município do Alto do Rio Doce, próximo a Barbacena, na Zona da Mata, com plantação familiar e sem agrotóxico desde 2011. Eles vendem frutas, verduras e alimentos, como arroz, feijão e fubá, guardados em garrafa pet para conservar. Começaram a vender em BH neste ano. Toda vez que chegam produtos novos, a página no Facebook é atualizada com a lista do que tem disponível, o preço e as fotos. Geralmente isso acontece de 15 em 15 dias e sempre têm novidades. Como a produção não é em grande escala, os produtos acabam à medida que são vendidos.
A pessoa pode escolher o que deseja e mandar pelo WhatsApp ou Facebook, combinar a data e horário da entrega em casa. Compras acima de R$ 60 não é cobrado frete, também entrega na estação Move Minas Shopping, independente do valor, sem taxa.

Encomendas
Pela página https://www.facebook.com/darocabicuiba ou pelo WhatsApp para BH e região metropolitana: (31) 97540-9591 / São João Del Rey e Barbacena: (32) 98862-0288
Arroz (2 L): R$10,00
Feijão (1,5 L): R$12,00
Polpas de manga e goiaba (150 mL) - $$ 2,50 cada

Coopas
Fundada em maio do ano passado, a cooperativa reúne hoje 36 famílias consumidoras que compram diretamente de uma família produtora no Vianópolis, Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Os produtores são de um assentamento de reforma agrária e receberam investimentos da ordem de R$ 15 mil da cooperativa para compra de equipamentos e irrigação.
Nesse sistema, as pessoas que quiserem aderir pagam uma assinatura mensal de R$ 200 para receber uma cesta por semana com 12 produtos orgânicos: três temperos (salsa, cebolinha e manjericão), um tipo de fruta, quatro tipo de folhosas, três tipos de legumes e um produto processado (café, arroz orgânico, mel, geléias). Mas é o que tem disponível na horta, não há como escolher. A quantidade abastece uma família de até quatro pessoas. Há também a opção individual que custa R$ 110 por mês e vem seis produtos (uma fruta, um produto processado, folhas e dois legumes).

Encomendas
A entrega é feita aos sábados de manhã na rua Divinópolis, nº 445, no bairro Santa Tereza. Para entregar em casa, o frete varia de R$ 20 a R$ 35, dependendo da região.
Entre em contato pela página https://www.facebook.com/CoopasAlimentosSaudaveis/, por email [email protected] ou pelo WhatsApp (31) 98334-6394
Horta do reassentamento agrário “Dois de Julho”
Cestas com 12 produtos (R$ 200 por mês - R$ 50 cada)

DaHorta
O casal Euler e Iara se mudou para uma fazenda em Entre Rios de Minas, em 1979 e desde 2005 passaram a produzir e vender os alimentos para BH, recebendo pedidos por telefone. Em 2010, eles abriram o site dahorta.org e começaram com a feira virtual de orgânicos. A feira abre às sextas, a partir de 11h, com a lista na internet de cerca de 100 produtos disponíveis (processados, laticínios como leite, queijo e iogurte, legumes, frutas, hortaliças), basta cadastrar no site e fazer as compras até o domingo à noite. Os produtos são colhidos na segunda-feira e entregues na terça-feira na casa dos clientes pelos produtores. Também tem a opção de comprar a cesta do agricultor com oito a dez produtos da safra (folhas, legumes, duas frutas, iogurte, queijo frescal), que sai a R$ 40 reais mais a taxa de entrega. Preços individuais de alguns produtos: alface americana R$ 4,50, abóbora japonesa R$ 6, couve molho R$ 4, banana prata R$ 6, iogurte natural 600ml R$ 8,50, queijo frescal 500g R$ 12,50.

Encomendas
Você compra no site www.dahorta.org e recebe em casa. A taxa de entrega é de R$ 10 a R$ 15, dependendo da região. Saiba mais na página do facebook.com/dahortaorganicos, ou pelo WhatsApp: 99989-0511 / 99987-4787
Exemplos
Limão cravo ½ dúzia R$ 4,50
Beterraba 500g R$ 5

PARA USAR

Autogestão sabonetes artesanais
Elaine Lima de Carvalho produz sabonetes e produtos de limpeza (como sabão de pia e desinfetante) com ingredientes naturais e vende em BH há dois anos. Ela utiliza frutas, aveia, açúcar mascavo, alecrim, arruda e óleos de coco. Além de estarem disponíveis em feiras temáticas na cidade, podem ser comprados pela página facebook.com/pg/Sabonetesautogestao ou pelo WhatsApp (31) 99250-7258
Exemplos
Sabonete de barbatimão concentrado 100g - R$ 9,00
Sabonete de maracujá 100gr - R$ 9,00
Sabonete de Aloe Vera 80gr - R$ 10,00
Sabonete de Aveia, açúcar mascavo e Betacaroteno - R$ 8,00

Perfumaria das ervas
A cosmetóloga Franciele Rayane dá oficinas de cosméticos naturais e biodegradáveis pela empresa Perfumaria das Ervas, em Belo Horizonte, mensalmente, para as pessoas aprenderem a fazer seus próprios produtos de higiene. Ela ensina receitas de sabonetes, xampu, perfumes, creme dental, desodorantes, protetor solar. Cosméticos à base de óleos vegetais, óleos essenciais (substância pura extraída das plantas medicinais e aromáticas, que você encontra em lojas de produtos naturais e no Mercado Central).
A oficina em BH dura um dia (das 10h às 17h) e custa R$ 260. Tem ensinamentos também sobre ecologia do corpo, fitoterapia, principais ingredientes utilizados, conservação e oferece certificado. A próxima acontecerá no dia 7 de maio, na rua Itaí, 782, Santa Efigênia. Informações pelo email [email protected] ou via inbox na página facebook.com/perfumaria.daservas
No YouTube da Perfumaria das Ervas, ela ensina algumas receitas fáceis como a de creme dental com três ingredientes: óleo de coco, bicarbonato de sódio e óleo essencial de capim limão, hortelã ou manjericão (substância pura extraída das plantas medicinais e aromáticas).

Receita de Desodorante
- 100 mL de leite de magnésia - 10 gotas de óleo essencial de tea tree
- Adicionar o óleo essencial ao leite de magnésia agitando por 30 segundos e armazenar.
O leite de magnésia é encontrado em qualquer farmácia, e o óleo essencial em algumas lojas do Mercado Central, na Lazlo ou na Mundo Verde.

Fonte: O Tempo em 26-04-2017


Leia Mais:



SIGA NOS

-->