Agricultura orgânica ganha destaque no Noroeste do Rio



A agricultura orgânica vem crescendo consideravelmente no mundo, sendo que temos um exemplo muito interessante no Brasil. O noroeste fluminense há três anos era uma região que contava com apenas nove agricultores adeptos do modelo, hoje já são 89, de acordo com censo realizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O aumento representa um percentual de dez vezes a mais do que no período anterior.

Tal conquista se deve aos trabalhos da Rede de Pesquisa, Inovação, Tecnologia e Serviços Sustentáveis – popularmente conhecida como Rede de Agroecologia. O grupo foi criado em 2012 pela secretaria de Agricultura do estado do Rio de Janeiro, e ajudou a fomentar este tipo de agricultura na região, juntamente com várias outras entidades parceiras, por meio de cursos de capacitação de agricultores interessados em substituir as práticas tradicionais pelas ecologicamente corretas e mais saudáveis.

O cultivo do alimento orgânico, além de não utilizar agrotóxicos, tem proporcionado à valorização das comunidades rurais da região, que revendem os produtos em feiras.

Os participantes ainda tiveram a oportunidade aprender técnicas para o melhoramento do solo, por conta da adição de adubos especiais e materiais orgânicos.

Os alimentos gerados, sendo o alface um dos destaques, são certificados pelos órgãos representativos para que o consumidor tenha garantia da procedência e método de cultivo.

Os produtores envolvidos na agricultura orgânica lançaram, recentemente, um projeto que pretende criar algo parecido com o Circuito Carioca de Feiras Orgânicas, que está em 19 bairros da capital e Região Metropolitana do Rio.


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+