Orgânicos são vendidos a preços baixos no Paço Municipal


A Feira de Orgânicos que já está instalada há cerca de um ano na praça do Rádio Clube, onde funciona toda quarta-feira, agora também está aos sábados no estacionamento da prefeitura de Campo Grande.

Apesar dos orgânicos serem pelo menos 30% mais caros que as hortaliças produzidas do modo tradicional, neste caso, a situação não se repete.

Como o processo de produção dos legumes e verduras é feito em sua totalidade pelas famílias que participam do projeto, os custos caem, segundo confirmou o secretário Natal Baglione (Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Agronegócio).

Quem participa do projeto, que tem apoio da prefeitura e Ministério da Agricultura, produz o próprio adubo (não são permitidos fertilizantes químicos), cultiva e colhe as hortaliças.

"Aqui o preço é equivalente e em alguns casos menor que os dos supermercados", complementou o secretário.

Ao todo, são 28 barracas, mas nem todas são ocupadas por apenas um produtor. Na prática, são 130 famílias vendendo orgânicos, algumas de assentamentos.

"Achamos que vai dar certo porque sábado é um dia ocioso, as pessoas têm mais tempo para fazer compras", continuou Natal Baglioni, lembrando que esta era uma reivindicação tanto da população quanto dos próprios produtores.

O produtor Cícero de Oliveira, de 49 anos, já participa da feirinha de orgânicos há um ano na praça do Rádio Clube e vai observar o movimento para saber se também comercializará seus produtos aos sábados. Para comprovar que as hortaliças são vendidas a preços populares, ele exemplificou o valor cobrado pelo pé de alface: um real.

Lucinéia de Jesus Domingos é presidente da Associação Quilombola da Chácara Buriti, onde vivem 18 famílias que vivem da agricultura familiar. "Pretendo vir todo sábado, acho que tem tudo para dar certo, principalmente com o trabalho de divulgação que está sendo feito", disse.

Dona Nair Dias, aposentada de 67 anos, disse que não tem habito de comprar orgânicos, mas que gostou muito da feira e pretende virar cliente. "Os preços são bons, as hortaliças são muito bonitas e agora quero adquirir hábitos saudáveis", afirmou.

O prefeito Nelsinho Trad disse que o projeto tem grande alcance social.

"Ficamos felizes porque é uma feira que vai trazer saúde. O estacionamento ficava ocioso no sábado e este é um projeto que dá oportunidade ao produtor pequeno de vender o seu produto e não apenas cultivar para subsistência", disse.

Fonte: Aquidaua Newsem 21 de Agosto de 2010 às 10:40hs


Leia Mais:



SIGA NOS

-->