Mato Grosso do Sul soma 11 feiras com produtos orgânicos

O consumo de hortaliças e frutas orgânicas aumenta a cada ano, e conforme dados do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), existem 855 feiras com produtos orgânicos no país. Em Mato Grosso do Sul, estão regulamentadas 11, isso sem contabilizar as feiras tradicionais, em cidades como Bonito e Nioaque, em que há agricultores com práticas agroecológicas junto aos demais feirantes.

Produtos orgânicos ganham cada vez mais espaço no prato dos consumidores em razão dos benefícios à saúde, especificamente por serem cultivados à base de práticas ecológicas, sem o uso de agrotóxicos.

Os dados sobre as feiras existentes em Mato Grosso do Sul são monitorados pela Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), em razão do atendimento de assistência técnica e extensão rural (ATER) prestado aos produtores rurais. Em Campo Grande, por exemplo, 15 famílias da agricultura familiar cultivam alimentos e comercializam a produção dentro de seis feiras espalhadas pela cidade.

“Das 15 famílias, nove são feirantes. Alguns agricultores familiares comercializam os produtos do sítio vizinho, uma forma de se ajudarem. Só na Praça do Rádio Clube, temos nove anos de feira”, afirma Maria Brito, agricultora familiar e presidente da Associação de Orgânicos da Capital.

Além dos benefícios para a saúde, quem tem o hábito de frequentar essas feiras também contribui de maneira positiva para a economia regional. Por esse motivo, é importante prestigiar feiras ao invés de frequentar somente as grandes redes de supermercados.

“A comodidade do mercado e os hábitos das pessoas tendem a ser um entrave dentro das feiras. A gente sente que caiu bastante o movimento, cerca de 40%, acredito. Infelizmente, tem muita gente que não pensa em longo prazo no que está levando para casa”, avalia a produtora.

Maria Brito conta que pelas feiras é comum conhecer pessoas que só passam a pensar na saúde quando já estão doentes.

“Tem gente que começa a se cuidar desde cedo. Mas, a gente sabe que a vida na cidade está corrida e, não raro, a gente vê pessoas que passam a frequentar a feira só depois que está com câncer ou outros tipos de doenças. O médico indica o consumo de alimento orgânico e elas passam a comprar. Algumas saram, mas têm aquelas que, infelizmente, a doença está avançada demais”.

Horários e endereços:
Campo Grande

Praça do Rádio Clube – quarta-feira – 5h às 9h
Pátio da Prefeitura Municipal – sábado – 5h às 9h
Igreja Perpétuo Socorro – quarta-feira – 6h às 9h
Shopping Bosque dos Ipês – sábado – 15h às 20h
Feira Vegana – Praça dos Imigrantes (Centro da Capital) – sábado – 18h às 22h
Igreja Primeira Essência – Rua Gonçalo Alves, nº 354 – domingo – 8h às 11h
Corumbá

Feira de Orgânicos da UFMS: Av. Rio Branco, 1131-1229 – Universitário – terça-feira – 7h às 12h
Anastácio

Feira Municipal da Agricultura Familiar e Economia Solidária: Praça Garibaldi de Medeiros – Centro – sexta-feira – 16h às 22h
Dourados

Feira Livre de Produtos Orgânicos: Parque dos Ipês – terça-feira – 17h às 22h
Grupo de Compras Coletivas – Rua Joaquim Teixeira Alves, 2190.
Três Lagoas

Feira Agroecológica: Av. Ranulpho Marques Leal, 3484 – Interlagos – quinta-feira – a partir das 9h
O Idec possui um mapa virtual com todas as feiras orgânicas do país. Para acessá-lo clique aqui.

Fonte: Correio do Estado em 23 de agosto de 2018.

Leia Mais:

SIGA NOS