Consumidores americanos confundem ‘orgânico’ com ‘sem OGM’, mostra estudo


Os consumidores confundem alimentos rotulados como “orgânicos” e “sem organismos geneticamente modificados” e alguns veem os dois rótulos como sinônimo, de acordo com um novo estudo do Instituto de Ciências Agrícolas e de Alimentos da Universidade da Flórida.

O estudo, liderado pelo professor assistente da UF, Brandon McFadden, com o professor de economia agrícola da Universidade Purdue, Jayson Lusk, explorou formas de comunicar aos consumidores se os alimentos têm ingredientes geneticamente modificados. Os pesquisadores realizaram uma pesquisa nacional com 1.132 entrevistados para avaliar sua disponibilidade em pagar por alimentos rotulados como geneticamente modificados versus não geneticamente modificados.

Os pesquisadores queriam saber especificamente quanto os consumidores estavam dispostos a gastar em alimentos rotulados como “USDA Organic” vs. o que é “Non-GMO Project Verified” – livre de transgênicos. Material geneticamente modificado não é permitido em alimentos rotulados como “USDA Organic”, enquanto “Non-GMO Project Verified” significa que o alimento não possui mais de 0,9 por cento de características geneticamente modificadas, observa o estudo.

Os pesquisadores mediram a disposição dos entrevistados em pagar por uma caixa de 12 barras de granola e uma libra de maçãs. As barras de granola representam um alimento fabricado comumente diferenciado pela ausência de material geneticamente modificado, enquanto as maçãs são uma fruta fresca que exige que as empresas digam se contêm material geneticamente modificado.

No estudo, quando os consumidores analisaram os pacotes de barras de Granola denominados “Non-GMO Project Verified”, eles estavam dispostos a gastar 35 centavos a mais do que nas caixas que tinham o texto que dizia “contém ingredientes geneticamente modificados”. Com o rótulo “USDA Organic”, os consumidores estavam dispostos a pagar 9 centavos a mais.

Com as maçãs, os entrevistados estavam dispostos a pagar 35 centavos a mais por aqueles rotulados como “Non-GMO Project Verified” e 40 centavos mais por aqueles rotulados como “USDA Organic”.

Os resultados levaram McFadden a concluir que os consumidores não distinguem as definições dos dois rótulos dos alimentos.

“Por exemplo, é possível que um produto rotulado como ‘Non-GMO Project Verified’ comunique mais claramente a ausência de ingredientes geneticamente modificados que um produto rotulado como “USDA Organic”, disse ele.

Fonte: BeefPoint em 27-10-2017


Leia Mais:



SIGA NOS

-->