Alimentos que são melhores em sua versão orgânica


1. Frutas e vegetais amarelos e alaranjados

Ricos em carotenoides, eles são essenciais para a formação da vitamina A no corpo, que contribui para o crescimento, desenvolvimento e manutenção da pele, do aparelho reprodutor e do sistema imunológico. “Os carotenoides ainda têm ação antioxidante e protegem as células de danos oxidativos”, conta Maria Flávia Sgavioli, nutricionista clínica funcional da Estima Nutrição, em São Paulo.

2. Tomate

licopeno em sua composição é um potente antioxidante capaz de minimizar o risco de diversos tipos de câncer. “Ele também auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares por tirar de circulação moléculas reativas que causam danos às células do corpo”, esclarece.

3. Cereais

Suas fibras insolúveis estimulam o aumento do bolo fecal e os movimentos peristálticos, facilitando a eliminação das fezes. Elas são uma mão na roda quando o assunto é o funcionamento do intestino e a eliminação de toxinas que podem prejudicar o metabolismo e o emagrecimento.

4. Leguminosas

Essas aqui contêm a outra versão da fibra: a solúvel, que forma uma espécie de gel no trato intestinal, controlando o índice glicêmico dos alimentos, evitando o acúmulo de gorduras e promovendo a saciedade prolongada. Essas fibras também alimentam as bactérias benéficas do intestino por mais tempo, o que acaba reforçando nossa imunidade.

5. Peixes

Cheios de ômega-3, esses alimentos são anti-inflamatórios. Isso quer dizer que reduzem as dores da artrite, retardam o envelhecimento precoce, regulam os níveis de colesterol e protegem o coração. “Também têm ação antidepressiva e auxiliam na melhora da memória e do raciocínio”, enumera a especialista.

6. Vegetais verdes

Os itens escuros contêm luteína, substância capaz de melhorar a função cognitiva e evitar as falhas de memória. Além disso, ela é essencial para a manutenção de uma boa visão.

7. Iogurte e leites fermentados

Os probióticos presentes nos derivados do leite são micro-organismos que mantêm a saúde intestinal, melhorando a absorção de nutrientes e diminuindo o risco de doenças crônicas. “Eles fortalecem nosso sistema imune por meio da proliferação de bactérias protetoras, controlam o colesterol pelo equilíbrio da flora intestinal e facilitam a digestão da lactose”, explica Maria Flávia.

 

Fonte: Boa Forma Abril

 


Leia Mais:



SIGA NOS

-->