Embrapa cria sistema para manga orgânica

Salvador, 8 de dezembro de 2000 - O método tradicional de estímulo à  floração da manga 'tommy atkins', com o uso do agroquímico paclobutrazol  (PBZ), poderá ganhar nova alternativa de produção orgânica, nos próximos  anos, nas áreas de cultivo irrigado do Nordeste. Esse é, pelo menos, o  objetivo da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que  realiza experimentos com a indução floral por estresse hídrico nos pólos  frutícolas de Assu-Mossoró (RN), região com cerca de 900 hectares irrigados  com a fruta, e de Petrolina (PE).

Pelo sistema de estresse hídrico, a quantidade de água destinada ao  pomar é reduzida, de modo a atingir níveis de irrigação que provoquem na  planta o mesmo efeito do PBZ, que atua como inibidor do crescimento,  forçando a sua floração.

O coordenador do trabalho, Manoel Teixeira de Castro Neto, diz que  testes realizados no meio do ano já mostraram uma boa resposta ao método,  sob a influência de temperaturas mais baixas.

'Agora, estamos concentrando os experimentos nesse período de  temperaturas mais altas, que começou em novembro e vai até janeiro, para  avaliar os resultados com as safras de fim de ano.' Ele lembra que o  estresse hídrico não é uma tecnologia nova, mas ainda vem sendo pouco  utilizada no País. Daí a iniciativa de intensificar os testes para difundir  os benefícios junto aos produtores.

A principal vantagem do estresse hídrico é o seu custo menor. Hoje,  os gastos com o PBZ representam cerca de 25% dos custos de produção da  manga nos perímetros irrigados. A despesa atinge R$ 1.000 por hectare, já  que o litro do produto está em torno de R$ 250 e são necessários quatros  litros por hectare.

'Além de ser um método que oferece um fruta sadia, sem aplicação de  produtos químicos, o estresse pode reduzir os custos em mais de 30% e tende  a garantir preços de exportação melhores para o produtor.

Fonte:O Estado de S. Paulo, Sexta-feira, 8 de dezembro de 2000

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se