Produtores de Minas Gerais lucram mais com café orgânico

Cafeicultores do município de Machado, na região Sul de Minas Gerais, apostam no café orgânico para aumentar a renda ao produtor. O grupo União dos Cafeicultores de Machado (Unicom) conseguiu o certificado de qualidade do produto, da BCS Öko Garantee (certificadora alemã), e exportaram 75% da produção de café orgânico para o Japão no ano passado.

Os preços obtidos pelos cafeicultores com o produto orgânico são o equivalente ao dobro do convencional. Segundo a Unicom a saca de 60 quilos no mercado internacional gira em torno de R$ 480 (US$ 160), enquanto o grão não-orgânico é comercializado a R$ 212,00 (US$ 70).

Para esta safra, a produção estimada é de 8,5 mil sacas de café orgânico. No ano passado, a produção chegou a duas mil sacas do grão, em razão da bianualidade da cultura. Já em 2002, as fazendas renderam 11 mil sacas, porém nem toda a safra foi composta por café orgânico. Com a participação na feira internacional de produtos orgânicos Bio Fach, que aconteceu na Alemanha, na última semana, os produtores esperam aumentar a carteira de clientes do grupo, principalmente países europeus.

Segundo informa Ivan Caixeta, coordenador do Unicom, as exportações do produto orgânico geram ao País cerca de 50% de lucro em relação às vendas externas do café convencional. Isso, porque de acordo com o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), 50% dos insumos e fertilizantes utilizados pela cafeicultura tradicional são importados. Ivan Caixeta afirma, ainda, que o café orgânico não exportado é comercializado no mercado interno para torrefadoras mineiras e cearenses.

fonte: Ana Paula Machado, Gazeta Mercantil em 27/02/2004

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se