Equipamento doméstico transforma lixo orgânico em adubo

O lixo orgânico já pode ser transformado em adubo sólido e líquido. De acordo com ambientalista Antonio Barbosa Pereira, da Associação de Proteção ao Meio Ambiente de Mojiguaçu (Aproma), responsável pela criação do Biodecompositor Doméstico (Biolar), o equipamento de reciclagem que pode ser construído em casa. " É uma estrutura simples e de baixo custo", afirmou o especialista.

Devem ser depositados restos de comida, alimentos estragados, cascas de frutas, legumes, ovos, sementes, pó de café, cinzas e filtros de cigarros, ossos de frangos e peixes, folhas de verduras. dentro de um tambor de metal de 100 ou 200 litros “Os resíduos devem ser fragmentados ao máximo, para facilitar a decomposição”, disse.

De acordo com Pereira, o Biolar pode ser fixo ou móvel. No fixo, o tambor fica enterrado de 10 a 15 centímetros na terra. No fundo dele é colocada uma tela de mosquiteiro, para o chorume produzido chegar ao solo sem que os resíduos sólidos contaminem o terreno. “O móvel é desenvolvido para casas que não possuem solo descoberto, o chorume fica armazenado em um fundo falso”, ensina Pereira.

Os equipamentos precisam funcionar em ambientes abertos, recebendo sol durante várias horas. "O adubo serve para o jardim, vasos e hortas", garante o ambientalista. O trabalho mostra o lixo orgânico quando destinado corretamente pode diminuir aproximadamente 90% do peso e dois terços do volume de resíduos que são levados de uma residência ao aterro sanitário.

Jornal Cruzeiro do Sul em [ 19/08/2002 - 10:02 ]

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se