Agricultura participa de levantamentos sobre produção em sistema orgânico



Com a garantia de uma Central de Abastecimento destinada à distribuição de produtos hortifruti para atender os quarenta municípios da região da Grande Dourados, a Prefeitura de Dourados, através da Secretaria Municipal de Agricultura Familiar e Economia Solidária, participa da realização de levantamentos acerca da produtividade de hortaliças em sistema orgânico, ou seja, sem aplicação de agrotóxico. Em parceria com a Embrapa, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a Prefeitura tem reunido produtores para debater potenciais demandas e possíveis avanços para o setor.

"É mais uma das ações relacionadas à implantação da Ceasa em Dourados. Tivemos a confirmação da conquista por parte do governador à prefeita Délia, e o trabalho já é com base na certeza de uma central como esta existindo em breve em Dourados", disse o secretário Landmark Ferreira Rios.

Como objetivo principal, os órgãos envolvidos querem diagnosticar a capacidade de produção atual, fomentar meios para trabalhos a curto, médio e longo prazo e desencadear um aumento de produtividade de forma a atender toda a demanda que a central requer.

"Se tivermos uma Ceasa para atender nossa região temos por obrigação atender a demanda de abastecimento. Este cuidado nós estamos tendo para que Dourados evolua e a agricultura familiar, o cultivo orgânico e a economia sejam alicerces", explicou Landmark.

Na manhã desta quinta-feira, no distrito de Vila Vargas, produtores debateram sobre a olericultura (produção de hortaliças) e avaliaram as principais necessidades de avanço para o setor nos quesitos de preparação do solo, escolha das cultivares, irrigação, implantação de estufas, tubos, comercialização da produção, entre outros.

O presidente da Agrovargas (Associação da Agricultura Familiar da Vila Vargas), Vangivaldo Belo da Silva ressaltou a importância do apoio recebido e concordou que a Ceasa é uma avanço, desde que todos os produtores e a região estejam preparados para a demanda que vai surgir. "Temos que crescer a produção e, todos juntos, trabalhar para a melhoria deste setor e o aumento da produtividade", disse. ​​ O produtor ressaltou as consequências de parcerias anteriores, como o fomento à construção de estruturas para cultivo protegido. A produção de alface, rúcula, pepino, tomate, acelga e outras hortaliças foi potencializada com a nova estrutura e, para ele, prova que o investimento e o cuidado do poder público com os pequenos agricultores pode potencializar o segmento. "Já temos colhido os frutos da parceria", disse. A ação de levantamentos feitos pela Embrapa deve ser feita também em Naviraí.

Fonte: O progresso em 08-06-2017

 


Leia Mais:



SIGA NOS

-->