Brasil Leva Experiência com Controle Biológico da Lagarta da Soja Para África

 

O pesquisador Flávio Moscardi, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), prestou consultoria, no final de fevereiro, ao projeto de desenvolvimento de produto biológico à base de baculovírus para o controle da lagarta militar africana,(Spodoptera exempta), praga que causa prejuízos econômicos a pastagens e cereais na Tanzânia, no Quênia, e em outros países da região, abaixo do deserto do Saara. O projeto é coordenado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA/ARS), com execução do Natural Resources Institute, da Inglaterra.

Moscardi elaborou uma proposta para a implementação de métodos de produção e processamento de inseticida biológico de baixo custo. O pesquisador brasileiro foi convidado a participar do projeto pela experiência adquirida no Brasil com o controle biológico da lagarta da soja, a Anticarsia gemmatalis. \"Hoje o Baculovirus é reconhecido mundialmente pela área de soja tratada com o produto biológico no Brasil, que gira em torno de 1,7 milhões ha\", explica.

O pesquisador da Embrapa visitou o ICIPE (International Centre for Insect Physiology and Ecology), em Nairobi, no Quênia, onde apresentou palestra sobre o programa de uso do Baculovirus no Brasil. Em Arusha, na Tanzânia, ele preparou proposta para a produção do Baculovirus de S. exempta, em condições de campo, e seu processamento como formulação em pó-molhável e de baixo custo. \"O projeto já começou a ser implementado, mas, em maio, um pesquisador da Tanzânia envolvido com o projeto participa de treinamento sobre o assunto na Embrapa Soja, em Londrina\", diz Moscardi.

fonte:Jornal Cruzeiro/SP - Sexta feira, 14 de março de 2003


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+