Korin inicia exportação de frango orgânico para Hong Kong

Empresa planeja aumentar o volume de exportações para 24 mil aves por dia em 2017

A Korin Agropecuária, empresa especializada na produção de alimentos orgânicos com sede em Ipeúna (SP), vai exportar frangos congelados, orgânicos e certificados para Hong Kong.

A empresa fez na semana passada o primeiro embarque teste do produto para uma parceira comercial e a partir de novembro vai enviar 20 toneladas de frangos inteiros e cortes congelados, a cada dois meses, para a região pertencente à China.

Em 2017, a empresa projeta aumentar este volume. "Não temos dúvida de que a demanda vai ser grande; já temos planos para expandir a capacidade de produção nos próximos anos", confirma o diretor comercial da Korin, Edson Shiguemoto.

Atualmente, a Korin abate 18 mil frangos por dia e, no ano que vem, deve chegar a 24 mil aves/dia. Em 2017, a empresa deve mais do que dobrar o volume atual, com 40 mil abates diários, com o impulso das exportações.

Do total produzido, 10% são aves orgânicas - ou seja, criadas com grãos cultivados organicamente e não transgênicos, além de não receberem nenhum tipo de medicamento usualmente ministrado na avicultura convencional, como antibióticos.

O IBD (Instituto Biodinâmico) confere a certificação orgânica aos produtos da Korin.

Segundo Shiguemoto, um dos principais obstáculos para expandir a produção orgânica é a oferta restrita de grãos convencionais no mercado brasileiro, atualmente dominado por sementes geneticamente modificadas.

"Essa cadeia precisa ser melhor desenvolvida e precisamos ter uma garantia de que vai haver o insumo. Estamos trabalhando com produtores para termos milho e soja suficientes para expandir os abates", afirmou.

A iniciativa da Korin aproveita também vários acontecimentos no mercado externo e que, de certa forma, favorecem a exportação de carne orgânica. Além da valorização do dólar e do surto de gripe aviária em importantes países produtores, como Estados Unidos - que impulsionaram os embarques brasileiros de aves convencionais neste semestre -, a demanda por matérias-primas mais naturais está em alta.

Ao longo deste ano, grandes redes de restaurantes nos EUA anunciaram que vão deixar de comercializar carne de frangos que tenham sido criados com o uso de promotores de crescimento, ou antibióticos.

Estão na lista McDonald's, Chick-fil-A, Wendy's, Panera Bread e Chipotle Mexican Grill. Esta última também disse ainda ter eliminado ingredientes geneticamente modificados da sua produção.

Na indústria, a Tyson Foods e a Perdue Farms, por exemplo, estão produzindo mais frangos sem o medicamento e a Hormel, uma das principais processadoras nos EUA, adquiriu em maio uma produtora de frangos orgânicos por US$ 775 milhões.

Fonte: Estadão em 28 de Setembro de 2015

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se