Soja e café orgânicos interessam Japão

Para nós, ficou claro que a produção orgânica não será um diferencial suficiente para ampliar o acesso dos produtos ao mercado japonês", afirmou Pierre Santos Vilela, consultor técnico da Faemg.

Atualmente a denominação de orgânicos tem que seguir as normas de certificação pelo JAS (Normas de Agricultura do Japão). O conjunto de regras que teve início em junho de 2000, e passou a vigorar de forma obrigatória desde abril de 2002, tem por objetivo normatizar os procedimentos de alimentos que circulam no mercado japonês.

Dessa forma, ainda que o Brasil possua algumas certificadoras exclusivas para produtos orgânicos, as normas deverão seguir a JAS. "Os japoneses não têm interesse em qualquer produto só porque são orgânicos. As restrições ainda existem à entrada de produtos "in natura", desde a carne até os hortifrutigranjeiros, mesmo que tenham diferenças na forma de cultivo", diz Villela.


fonte: Jornal Cruzeiro do Sul em 31/08/2002


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+