Jacu Bird Coffee, um café único e especial!

Quer um café denso, cremoso e único? Vá de Jacu Bird Coffee, orgânico, biodinâmico e feito através de uma parceria sui generis entre o cafezal e o pássaro Jacu, um pássaro nativo da Mata Atlântica, que seleciona grão a grão os melhores grãos de café 

jacuÉ orgânico, biodinâmico e feito através de uma parceria sui generis entre o cafezal e o pássaro Jacu, um pássaro nativo da Mata Atlântica, que seleciona grão a grão os melhores grãos de café do cafezal da Fazenda Camocim nas montanhas do Espírito Santo.
 
Sui generis? Sim, um café a seu gênero, bem especial, pois é retirado dos resíduos, ou excrementos do pássaro Jacu, Penelope purpurascens. Os grãos são colhidos manualmente, limpos e beneficiados e resultam num café de grande qualidade.
 
O pássaro se alimenta dos grãos maduros e os expele inteiros e envoltos por uma casca e são separados manualmente. Parece um pé-de-moleque. “Este produto é uma raridade e tem qualidade, porque o bicho só come grãos maduros. Café bom é café colhido na hora certa e ninguém melhor que um pássaro para decidir a melhor hora”, brinca Henrique Sloper, o produtor do Jacu Bird Coffee.
 
Em 2007, Henrique Sloper  estava exasperado com a população de Jacu em suas plantações. “Os pássaros sempre voltam, não sabia o que fazer”, conta. 

Inspirado pela produção do kopi luwak na Indonésia, que produz o café mais caro do mundo a partir dos grãos digeridos pelo luwak (animal parecido com o nosso gambá), Henrique Sloper deu início às pesquisas que atestam a qualidade do café feito a partir dos resíduos do pássaro brasileiro.
 
 
O resultado é um café realmente especial, denso, cremoso e de luxo, já que a produção é pequena, não muito mais do que duas toneladas por ano, e de “colheita” totalmente manual.

A Fazenda e o Café
 
A Fazenda Camocim está situada nas montanhas do Espírito Santo no habitat de uma vasta população de jacu.
 
O cultivo se faz no sistema de agrofloresta, ou seja, as plantas ficam imersas em meio a mata nativa. “Nós não conseguimos controlar o que o jacu come, então brincamos que o blend é determinado por ele. Além da fruta do café, a espécie adora comer frutas vermelhas”, explica. A produção é orgânica e biodinâmica e o resultado é uma bebida de baixa acidez, doce, com aroma de chocolate e fruta, muito bem aceita no exterior.
 
Onde encontrar
 
O Jacu Bird Coffee é exportado para França, Japão, Austrália e Estados Unidos.
Você pode degustar o Jacu Bird Coffee no restaurante do chef estrelado Alain Ducasse e em São Paulo no Suplicy e na Casa do Porto.
 
O Jacu Bird Coffe pode ser comprado em grão, pó ou sachê. Uma embalagem de 250g custa entre R$ 90 e R$ 130. A xícara, entre R$ 7 e R$ 15.
 
Distribuição pela Mondial Brands e Café do Mercado com Alberto Gonçalves Neto: [email protected]
 
 
Certificações
 
A Demeter Alemanha certifica o manejo biodinâmico do Jacu Bird Coffee da Camocim Organic e o IBD, Instituto Biodinâmico, o manejo orgânico.  Também é certificado pela BSCA, a Associação de Produtores de Cafés Especiais do Brasil. E é o único café a fazer parte da Renaissance des Appellations que produz vinhos e alimentos biodinâmicos.

Fonte:Revista CAfeicultura em 16/04/2016

Leia Mais:


Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço gratuito de Cristiano Cardoso e L&C Soluções Socioambientais.