Governo dá incentivo fiscal aos produtores de gado orgânico no Pantanal

Animais precisam atender a uma série de requisitos para serem certificados dessa forma.

Produtores rurais do Pantanal de Mato Grosso do Sul que desejarem criar gado orgânico terão como incentivo isenções fiscais. A medida foi adotada pelo governo para alavancar a pecuária sustentável naquela região.

Jaime Verruck, secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, afirma que atualmente existem 22 pessoas que trabalham com esse seguimento e abatem cerca de mil cabeças por mês.

Para ser certificado pelos órgãos governamentais como orgânico, o boi precisa, entre outras coisas, ter uma alimentação baseada em grãos e rações isentas de transgênicos, além de ter o peso e as vacinas controlados por registros individuais desde o nascimento.

Além disso, segundo a ONG (Organização Não Governamental) WWF, que incentiva esse tipo de criação, os produtores devem dar atenção ao bem estar dos animais. As fazendas normalmente trabalham com sombreamento de pastagens e currais em formato circular para que o gado não se machuque.

“Só é orgânico algo que o Ministério da Agricultura certifique como tal e isso envolve uma série de coisas, até os tipos de medicamentos que podem ser usados”, acrescenta Verruck.

Segundo ele, a carne do gado orgânico produzida no estado já está sendo vendida. Ela é mais cara do que as outras e por isso tem o objetivo de atingir nichos específicos de mercado. “Hoje nós vamos ter uma carne terminada no Pantanal, vendida como sustentável”, pondera.

O governo, segundo ele, espera atrair produtores pantaneiros para a atividade com o incentivo. “Quanto mais produtores nós conseguirmos colocar no programa, mais vai haver inclusive a preservação da mata nativa”, afirma o secretário, já que a preocupação com o meio ambiente faz parte dessa vertente pecuária.

Esse programa foi apresentado por Verruck e pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) durante um seminário sobre o carbono na Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul).

Fonte:Campo Grande News em 27-02-2018

Leia Mais:

SIGA NOS