Orgânicos têm Mesmo Custo do Convencional

 

Atualmente Campo Mourão conta com um grupo formado por 23 produtores de alimentos orgânicos. Conforme o coordenador da Agricultura Orgânica no município, Orquides Lobrigatte, todos eles ainda estão em processo de certificação de seus produtos. "O projeto foi iniciado no inicio do ano passado. Leva de um a dois anos para receber o selo de orgânico. Atualmente são comercializados como alimentos em conversão", fala.

Os produtos podem ser comprados na Feira do Produtor. Dentre os produtos encontrados em forma de cultivo orgânicos estão: hortaliças, café, mandioca, compota, soja, e seus derivados como leite, pão, farinha e bolachas.

Os alimentos orgânicos são produzidos sem o uso de agrotóxicos e fertilizantes químicos. "Todos os produtos usados são naturais", frisa. No início a produtividade de orgânicos geralmente é menor do que a convencional e com o passar do tempo a produção volta ao normal. "Isso porque os produtores vão se aprimorando com o uso de produtos naturais", destaca Lobrigatte.

A fiscalização para receber o selo de produtos orgânicos é realizada pelo Instituto Biodinâmico de Certificação Orgânica- IBD. Assim que receber o certificado os produtores são fiscalizados periodicamente.

Segundo Lobrigatte os agricultores que optam pelo cultivo de orgânicos pensam em primeiro lugar no meio ambiente, equilíbrio natural da propriedade, conservação do solo. "É interessante dizer que todos são pequenos agricultores e a mão-de-obra usada na produção é familiar", observa Lobrigatte e diz que um outro fator interessante é que todos os produtores trabalham em grupos. "Não há concorrência entre eles. Um completa a necessidade do outro".

Agricultor- O agricultor Alecsandro Dorociaki comenta que optou pela agricultura orgânica devido ao melhor padrão de vida que esta cultura oferece. Dorociaki trabalha com o café e frutas cítricas.

De acordo com Dorociaki é complicado fazer uma comparação de média de produção entre o plantio de café convencional e o orgânico. "A média de produção do Estado é de 30 sacas já beneficiado. Em um cultivo orgânico até consegue números semelhantes, mais a variação e de produtor para produtor", fala. "No meu caso com o sistema orgânico houve aumento de produção", acrescenta.

O que influência o aumento na produção, segundo Dorociaki, é a questão de adubação. "Pode dizer também que tendo um manejo orgânico deve ter um melhor aproveitamento dos açucares pelo grão de café. Tendo um café mais equilibrado. Isso porque tudo que o produto necessitou retirou do solo", destaca. "Já com o cultivo convencional muitas vezes o produtor joga um adubo altamente solúvel, a planta absorve mais do que deveria e isso acaba inibindo a presença principalmente de micros nutrientes", finaliza

Fonte: 05/10/2005 -11:35 - Folha de Londrina


Leia Mais:



SIGA NOS

-->