Horta em casa tira veneno de mesa e gera economia de R$ 60,00

Além de ser uma alternativa para fugir do excesso de agrotóxico e do risco de consumir um alimento cultivado com água e solo contaminados, as hortas caseiras ajudam a economizar nas compras. Essa é uma prática que vem ganhando espaço nas cidades e na Serra não é diferente. 

A moradora de Capuba, Edmaura Fonseca, cultiva alimentos em casa há cerca de oitos meses. No quintal de casa ela planta alface, couve, almeirão, beterraba, coentro, salsa, cebolinha, pimentão, mamão,manjericão, hortelã, rúcula e quiabo.

“Sempre gostei de plantas em minha casa. Mas de uns oito meses pra cá comecei a investir mais na horta e plantar espécies que são alimentos. Eu e meu esposo consumimos os alimentos naturais, sem veneno. Vizinhos e amigos levam para casa e até meus animais aproveitam da horta”, explica Edmaura, que também é protetora de animais e com a comida produzida, ajuda a alimentar os cerca de 100 bichos entre cães e gatos, além do jabuti e coelho que cuida.

Edmaura ainda disse que é vegetariana e por isso consome muitas verduras e legumes. “Antes eu vivia comprando os alimentos e hoje posso colher em casa. Além da economia gerada pela produção feita em casa,eu agora consumo alimentos sem nenhum tipo de agrotóxico”, afirma.

O esposo de Edmaura, Ivomar Barbosa, ajuda a cuidar da horta. “A horta tem que ter cuidado e limpeza diários para que os alimentos possam crescer em saúde. Hoje já economizamos cerca de R$ 60 por mês”, revela Ivomar.

Outra pessoa que também cultiva alimentos em casa é a Jorgina Santos, moradora de Jardim Tropical. Além dela, a comida produzida é consumida por seu marido e por seu filho, que também moram na casa.

“Não tenho muito espaço no quintal de casa, mas utilizo todo á área disponível para cultivar cebolinha, coentro e outros temperos que aproveito todos os dias na hora de fazer as refeições. Economizo de R$ 30 a R$ 35 por mês”, calcula.

Fonte:Portal Tempo Novo em 23-02-2018

Leia Mais:

SIGA NOS