Primeira horta urbana e compartilhada em praça é inaugurada em Fortaleza

A horta estará disponível diariamente para uso, de 6h às 21h

A primeira horta urbana e compartilhada em praça de Fortaleza foi inaugurada neste domingo (28), na Praça do Bem Melodia, no bairro Cocó. A iniciativa faz parte do projeto Ser do Bem, da C. Rolim Engenharia, em parceria com a empresa Muda Meu Mundo

A inauguração da horta aconteceu na Rua Bento Albuquerque, número 2010, e estava prevista para ocorrer no sábado, mas foi adiada para o domingo devido à chuva. O espaço permitirá que a população escolha entre uma variedade de plantas disponíveis, cujas mudas podem ser levadas para casa gratuitamente e cultivadas para consumo próprio.  

"É um trabalho solidário, de dar e receber. Se você tira um pedaço de hortelã e cultiva em casa, você pode trazer de volta pra cá uma raiz do que já cresceu em casa. É a mesma conscientização para melhorar o ambiente e ter uma alimentação saudável. É isso que o projeto visa, ações do bem", ressalta Ticiana Rolim, diretora Comercial e de Marketing da C. Rolim Engenharia.  

Feira 

Além da horta, que será aberta ao público diariamente de 6h às 21h, a Praça do Bem Melodia receberá, também, a Feira Livre e Agroecológica Muda Meu Mundo, onde serão comercializadas frutas, verduras e legumes dos agricultores treinados pelo projeto. A feira, que deverá acontecer mensalmente, teve sua primeira edição no domingo e reuniu dezenas de clientes. Foi uma boa oportunidade para o casal July Oliveira e Wagner Barros, que puderam expor e vender suas produções de geleias caseiras. A próxima edição acontecerá no dia 24 de fevereiro.  

Durante a inauguração, o público presente pôde aprender a plantar, transplantar e colher plantas, orientados por membros da Muda Meu Mundo. "Nós vimos como abrir o canal na terra, a altura do solo necessária pra plantar, e como cobrir a semente e a raiz. Foi ótimo", relata o engenheiro mecânico Pedro Eloy. 

Agroecológicas 

A Muda Meu Mundo é uma empresa iniciante que promove a alimentação sem agrotóxicos. Segundo uma das fundadoras, Priscilla Veras, foi desenvolvida uma metodologia onde pequenos agricultores familiares são treinados, acompanhados e certificados com o objetivo de desenvolver produções agroecológicas. "São produções feitas sem veneno, preservando o meio ambiente, reflorestando, criando agroflorestas e preservando mata nativa. A gente escoa a produção deles através do comércio justo, então a ideia é que eles recebam o justo pelo produto deles, saiam da pobreza, produzam cada vez mais e, à medida que eles produzam, a gente tem um alimento livre de agrotóxico mais barato para toda a população", explica.  

Ela resume o objetivo do trabalho como a intenção de trazer sustentabilidade social, ambiental e econômica através da harmonia entre alimentação saudável e agricultura familiar. 

Fonte:Diário do Nordeste em 28.01.2018

Leia Mais: