Horta orgânica do Centro Penal da Gameleira abastece instituições de caridade da Capital

Quando a horta atingir sua capacidade máxima, de um hectare, 30% da produção será doada para instituições de caridade e os outros 70% serão comercializados e utilizados na manutenção da própria horta.

A horta orgânica implantada no Centro Penal Agroindustrial da Gameleira já está em fase de colheita e parte da produção está sendo doada a instituições de caridade da Capital. Cerca de 550 kg de alimentos já foram doados para instituições. Somente nesta semana, foram repassados 217,5 quilos ao Programa Mesa Brasil, do Serviço Social do Comércio (Sesc).

A iniciativa faz parte do Projeto Vida Nova, iniciado em julho deste ano, por meio de uma parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), a Central de Execução de Penas Alternativas (Cepa) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS).

Segundo o diretor-presidente da Agepen, Deusdete Oliveira, o projeto foi elaborado visando o aproveitamento da mão de obra dos apenados, os qualificando em técnicas de produção orgânica, uma tendência mundial, e que poderá garantir a eles um ofício, contribuindo para a ressocialização. Atualmente, 25 reeducandos trabalham diariamente na horta, com remição de um dia na pena para cada três trabalhados.

Conforme o Senar/MS, com um espaço de 740 m² de produção, a horta orgânica instalada na Gameleira abriga culturas de rápido crescimento, como alface, couve, rúcula e almeirão. Não são utilizados agrotóxicos, defensivos ou qualquer equipamento, o trabalho é todo manual.

Quando a horta atingir sua capacidade máxima, de um hectare, 30% da produção será doada para instituições de caridade e os outros 70% serão comercializados e utilizados na manutenção da própria horta.

Fonte: Notícias MS em: 23/10/2010

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se