Os benefícios do uso de fertilizantes especiais na produção da soja orgânica


A Fazenda São José, em Jaboticabal (SP), pode ser considerada um bom exemplo do fortalecimento e expansão da agricultura orgânica. O agricultor Paulo Eduardo Garcia começou a investir no cultivo orgânico da cana-de-açúcar há cerca de 15 anos atrás e viu o mercado crescer, se consolidar e se tornar ainda mais vantajoso do que o mercado de produtos convencionais. Garcia cultiva, atualmente, cana-de-açúcar e soja em uma área de cerca de 300 hectares.

“Minha principal atividade no cultivo orgânico sempre foi a cana-de-açúcar, mas comecei a perceber um mercado também muito atraente para a soja, o que me fez ampliar as áreas e apostar ainda mais em tecnologia”, diz o agricultor, que viu no plantio da soja orgânica uma opção para a rotação de cultura, que no caso da cana-de-açúcar, pode acontecer a cada seis ou, até mesmo, dez anos.

O agricultor conta que a falta de insumos certificados foi uma das maiores dificuldades de trabalhar com a produção orgânica. “Prezamos pela autenticidade do nosso cultivo, sem nenhum tipo de agrotóxico, sentimos uma dificuldade no começo. Hoje já temos acesso a bons produtos, como os da Nutriceler, que são certificados, eficientes e nos dão uma segurança muito grande na hora de definir o manejo”, explica ele.

Visando aumentar a produção da soja orgânica, Garcia tem adotado o uso de fertilizantes de alta tecnologia em seu manejo. Com o auxílio da tecnologia Nutriceler, a área tratada apresentou uma produtividade média de 68 sacas por hectare, contra 53,4 da área sem essa tecnologia, um aumento de 27% na produtividade.

“Quando entrei para o cultivo orgânico, trabalhávamos com caldas feitas na propriedade, tudo muito artesanal. Hoje a realidade é outra. Já podemos até comparar a produção de soja orgânica com a convencional. A produtividade superou nossas expectativas”, conta o agricultor. E revela que o valor de mercado da soja orgânica chega a até 40% a mais do que a convencional.

A soja produzida na Fazenda São José vai para os mercados norte-americanos, europeus e para o Japão. O produtor destaca que os grãos precisam apresentar um bom tamanho e boa aparência, que são obtidos através de uma estratégia nutricional diferenciada, conseguindo assim um produto de qualidade excelente, que pode ser comercializado sem processamentos para o uso culinário.

Paulo Lucio Martins, engenheiro agrônomo e especialista em agricultura orgânica, foi quem conduziu o manejo nutricional nas áreas de soja orgânica da família Garcia. Para ele, se o objetivo é reforçar a parte nutricional, plantar soja após a cana-de-açúcar é considerada uma boa estratégia. “A soja é beneficiada pelo residual de palha que fica após a retirada da cana-de-açúcar. Existe um acúmulo de matéria orgânica que ajuda a deixa o solo muito rico”, afirma.

O especialista aponta o uso de fertilizantes especiais de alto desempenho, certificados para agricultura orgânica, como um dos motivos para os bons resultados obtidos com a soja na Fazenda São José. “Começamos um trabalho nutricional no início do florescimento com o Koringa Orgânico, fertilizante composto por boro, zinco e extrato de algas. Ele foi muito importante para proporcionar um melhor engalhamento e florescimento das plantas”, afirma Paulo Martins

Um mix de nutrientes, composto por cálcio, magnésio, cobre, ferro, manganês, molibdênio e zinco, também foi aplicado e ajudou as plantas a atingirem um melhor equilíbrio nutricional, contribuindo para o ganho de produtividade.

Fonte: Agrolink em 18 de junho de 2017


Leia Mais:



SIGA NOS

-->