Produção orgânica cresceu mais de 20% no primeiro semestre

O aumento anual ficará longe de 40% no ano passado, o boom das certificações de laticínios

A produção orgânica na Galiza cresceu entre 20 e 30% no primeiro semestre deste ano. Se isso continuar, esse percentual será mantido no final do ano, como indicou ontem o presidente do Conselho Regulador de Ecologia Agrícola da Galícia ( Craega ), Francisco López Valladares. Ele participou de uma conferência técnica em marketing realizada em uma fazenda localizada no Trasliste carne em Láncara , que é também baseado Integrado Museu Vida e do Campo e dá Agrícola Locomotion, lançado por Marcos Vázquez. 130 pessoas participaram, de diferentes pontos da Galiza. Este ano, a produção orgânica não chegará a um aumento de 40%, segundo López Valladares, porque os resultados de 2017 se devem ao boom de certificações no setor lácteo . "Houbo unha avalancha de produtores - disse - que optou pela produção ecológica, não que a alternativa fosse desaparecer ".Os dias foram marcados pela presente, o discurso López Valladares, que destaque o sucesso obtido pelos produtores galega no justo BioCultura, Madrid, em que 50% dos produtos vendidos nos dois primeiros dias. "A Galícia - disse - tem que se esforçar para manter uma qualidade, mas também para um aumento de produção, porque os produtos não são suficientes para cobrir a demanda ". presidente Craega salientou que a Galiza ocupa um lugar excepcional em todo o país, com cerca de 32.000 hectares certificadas (quase metade deles na província de Lugo), mais de um mil operadores e 59,2 milhões de euros última faturados ano Lopez Valladares lembrou que em 2021 um novo regulamento entrará em vigor. " Vamos virar", disse ele , " para um consenso entre comunidades autônomas e entre todos os conselhos reguladores ". Ele ressaltou que uma das desvantagens que ele aprecia nesta norma é a possibilidade de certificação por grupo, o que implica que, se um dos membros é suspenso, afeta o resto. Sobre a evolução das últimas décadas e as perspectivas futuras da agricultura galega, ele estava programado para falar no dia em que o exconselleiro da Agricultura e ex-professor da Politécnica de Sineiro Francisco Lugo, que foi incapaz de viajar para a saúde razões . O engenheiro técnico agrícola José Mouriño Cuba falou sobre o passado, que ajudou a colocar em marcha o conselho regulador em 1997, quando foi criado o nome Agricultura Orgânica . Ele disse que naquela época se falava em agricultura orgânica, "mas produza, nada".O engenheiro, responsável pelo ICA (Instituto de Marketing Agropecuário), insistiu que a agricultura orgânica " chegou e vaise queda ". Ele disse que seu desenvolvimento depende de " como trabalhamos e das condições sociais e econômicas" e ressaltou que é importante ter um plano estratégico.A Craega convidou o nutricionista e personal trainer Santiago Carro, especialista em saúde gastrointestinal, que alertou que muitos dos problemas desse tipo obedecem ao modo de comer, que ele definiu como "perverso". Recomendado para comer comida tão puro quanto possível, em comparação com processados. E mostrou que as indústrias de laticínios da Galícia não estão aproveitando as proteínas do soro de leite, que são muito bem valorizadas pelos esportistas e especialmente pelos fisiculturistas. A Galiza é a comunidade com mais hectares certificados, num total de 32.000

Fonte: A Voz da Galicia (es) em 11-08-2019 por DC lugo

Etiquetas (Categorias - tags)

Leia Mais:



SIGA-NOS

TwiiterfeedFacebook"Whatsapp 88 9700 9062"pinterestlinkedinInstagramYoutube