Cooperativa cresce apostando na produção de orgânicos


Para adquirir insumos a um custo menor e ampliar o mix oferecido ao consumidor, grupo criou a Coapoi, em 2015

A partir da vontade de plantar sem agrotóxicos para preservar a própria saúde e o bem-estar de familiares, produtores da Serra da Ibiapaba, no Interior do Ceará, se uniram, no início dos anos 2000, com a finalidade de viabilizar a certificação da produção de orgânicos. Para eles, o primeiro passo foi a criação de uma associação, mas após perceberem as vantagens de trabalhar de acordo com o modelo cooperativista, os produtores transformaram a entidade na Cooperativa Agropecuária dos Produtores Orgânicos da Ibiapaba (Coapoi) no ano de 2015.


A iniciativa se deu tanto pela possibilidade de adquirir insumos por custos menores, já que a cooperativa compra em grande quantidade, como para proporcionar melhor rentabilidade para os produtores. "Há também um melhor mix de produtos porque, na produção orgânica, não tem como um só produtor ter todas as variedades que o mercado demanda. Em cada região da serra, há um tipo de produto diferente e, no final, junta-se tudo", explica o presidente da organização, João Costa Gomes.
Produção

Sediada na cidade de São Benedito, a cooperativa tem hoje 30 sócios distribuídos nos municípios de Carnaubal, Guaraciaba do Norte e Croatá. A produção é principalmente de hortaliças, legumes e frutas e, atualmente, é enviada aos mercados de Fortaleza, Petrolina (Pernambuco), São Luiz (Maranhão) e Teresina (Piauí), além de fornecer também o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

Com o planejamento da produção e utilização de técnicas agrícolas voltadas à preservação dos recursos naturais, a Coapoi é referência no segmento da agricultura orgânica, e seus associados viram suas plantações crescerem e se diversificarem nos últimos anos.

"Nós trabalhamos de acordo com a demanda do mercado. Se aparece uma nova, a gente identifica e vai aumentando proporcionalmente a produção", destaca o presidente da Coapoi, João Costa Gomes.

Agregando valor

Entre os projetos para o futuro da Coapoi está o beneficiamento dos produtos, como a fabricação de polpas de frutas, café moído, coco ralado, entre outros. "A nossa ideia é trabalhar a industrialização para agregar valor aos produtos e melhorar a renda dos associados", aponta Gomes. A decisão de tocar os projetos à frente será tomada em assembleia por todos os produtores cooperados, conforme a escolha da maioria. O grupo vem demonstrando a viabilidade econômica de pequenas propriedades, com respeito à proteção ambiental e à saúde dos trabalhadores rurais, ao mesmo tempo em que atende à demanda da sociedade por alimentos que lhes assegurem qualidade de vida.

As metas primordiais da cooperativa são a organização e coesão do grupo, o planejamento da produção, a melhoria dos rendimentos dos produtores e a constante capacitação nos métodos e técnicas orgânicas.

A série

Durante cinco dias, desde o último sábado (25), o Diário do Nordeste publicou a série "Cooperativismo: modelo que transforma", traçando as principais características do modelo no Ceará, no Brasil e no mundo, além dos principais desafios enfrentados e a visão de quem apostou na ideia e se lançou no mercado

Fonte:Brasil de Fato por Ingrid Coelho/ Yohanna Pinheiro em 30 de Agosto de 2018

Leia Mais:

SIGA NOS