Alimentos orgânicos conquistam consumidor

 

A venda de produtos orgânicos, sem aditivos químicos, não se restringe mais apenas às lojas especializadas dos bairros da Zona Sul do Rio. A maioria deles já é encontrada também, com boa aceitação, em supermercados de outras regiões da cidade. A ampliação do mercado deve-se ao aumento da produção, que tem concorrido para a baixa dos preços. Um exemplo é o caqui orgânico, oferecido a R$ 1,98 na rede Hortifruti, mesmo preço do caqui comum.

A oferta tem crescido especialmente nas seções de frutas. Além do caqui, as lojas começam a oferecer também maracujá azedo, limão e uvas produzidas de forma natural. A partir de junho, os clientes do Hortifruti encontrarão a tangerina ponkan e o morango orgânicos. Os produtos chegarão também às filiais da Tijuca, de Vila Isabel, do Grajaú e de Madureira.

Hortifruti registra aumento de 30% nas vendas

A Sendas, por sua vez, lançou a Feira Orgânica, que se realiza às sextas e sábados nas filiais de Leblon, Barra, Recreio, Largo do Machado, Méier e Tijuca. São oferecidos cerca de 30 itens, entre legumes, verduras e frutas, que ficam com preços mais em conta nestes dias. Entre as novidades estão a tangerina, maçã-gala e a vagem-manteiga.

Os produtos Bio Native, marca da própria Sendas, também vêm ganhando clientes. São sete itens orgânicos, como doce de leite, de abóbora, geléias e suco de laranja.

A linha Frutifique, lançada em junho do ano passado nas lojas Hortifruti, já inclui 60 produtos e registra um aumento de 30% nas vendas. Segundo Marcos Damásio, gerente da rede, os preços melhores vêm sendo conseguidos por meio de parceria com pequenos produtores de Teresópolis. A empresa fornece subsídios e o produtor aumenta a plantação. Com a procura maior, o caqui chegou a ser oferecido este mês a R$ 1,48.

- Com a conscientização maior sobre a necessidade do consumo de produtos mais saudáveis e o aumento da produção, os preços tendem a baixar - explicou.

O médico e nutrólogo Ricardo Rosenfeld, chefe do Departamento de Nutrição da Casa de Saúde São José, diz que os legumes e frutas orgânicos podem ser mais recomendados para o consumidor. Isto porque podem não apresentar o risco de conter pesticida, substância usada para combater pragas mas que podem causar doenças como câncer e Alzheimer. Mas ela frisa que todos os estudos feitos até agora não comprovaram a contaminação dos produtos como causa dessas doenças.

- Se me perguntarem sobre estes produtos, digo que sou a favor. Mas não sou contra o consumo dos produzidos com fertilizantes químicos, pois nada há comprovado sobre os males que causam. Como prevenção, basta apenas o consumidor lavar bem os produtos com água e um pouco de água sanitária ou vinagre - afirmou.

fonte: Jornal o Globo em 17/05/03


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+