Condimento orgânico e sem conservante

 

A cultura de pimentas e ervas é orgânica, isenta de venenos e adubos químicos e o produto final não leva conservante nem corantes, dizem os produtores. O canteiro é formado em terra fofa, acrescida por uma compostagem feita com cascas de frutas e legumes e esterco animal curtido com pó de serra de madeira.

As ervas aromáticas, que entram na linha de produção da empresa, têm outra finalidade: afastar predadores, razão pela qual foram plantadas dezenas delas ao redor das estufas, como alecrim, majerona, tomilho, orégano e hortelã.

Para evitar a presença de fungos e bactérias, uma bacia de cal é utilizada para o visitante higienizar as solas dos sapatos. "Recebemos muita gente. Temos um projeto de visitação com estudantes", comenta Marcelo Cury.

Colheita manual - As pimenteiras são perenes e se reproduzem a partir de mudas formadas antes do inverno. A colheita, feita manualmente, uma a uma, com muito cuidado, ocorre entre agosto e março. Cada pé pode fornecer até 1,5 quilo de pimenta.

Pimentas e ervas fazem grande volume e vão para o envase rapidamente, pois são perecíveis. Segundo Marcelo, o custo de manutençaõ das plantas gira em torno de R$ 8 mil.

Mistura brasileira - O primeiro produto a ser elaborado pelos irmãos foi uma mistura de pimentas brasileiras batizada de Ardência no Regaço. No fim dos anos 80 eles tinham uma pequena loja, onde vendiam especiarias da região. O ponto comercial funciona até hoje e fica estrategicamente na avenida principal da cidade, por onde passam turistas a caminho do Circuito das Águas e cidades do sul de Minas Gerais.

Na época, Marcos Cury era representante comercial de uma empresa. Apaixonado pela culinária e ávido por novos temperos, durante as viagens visitava mercados municipais à procura de todo tipo de ervas aromáticas, pimentas e ervas condimentares. Certa vez juntou porções de várias pimentas e deixou curtir em azeite. Passados alguns dias resolveu ouvir opiniões. "Quando um amigo experimentou uma gota da mistura dava pulos e urrava 'é ardência no regaço'. E o nome colou."

A Companhia das Ervas tem uma tabela que permite identificar o teor do ardume da pimenta, que vai de 1 a 10. A Ardência no Regaço tem graduação 6, o mesmo da pimenta-de-cheiro, malagueta e comari do Pará. A da murupi é 9. A banana-doce, levemente agridoce, tem pontuação 1, como a pimenta-rosa, ideal para suco de frutas e doces. As mais ardidas são a americana anahein e a jamaicana scoth bonnet, ambas com cotação de número 10. Há ainda a americana de ardume 6 e a peper petter afrodisíaca.

Companhia das Ervas, (0--11) 4014-7521, endereço eletrônico: www.ciadaservas.com.br

fonte: Jornal O Estado de São Paulo - Suplemento Agrícola - Quarta-feira, 19 de dezembro de 2001


Leia Mais:



SIGA NOS

-->