Com manejo mais prático e eficiente, produtor antecipa ciclos e colheita de morango orgânico



Nutrição de alto desempenho proporcionou frutos bem nutridos antes do tempo previsto e possibilitou antecipar a colheita e conquistar melhor preço de venda

Ganha mais quem chega primeiro. Essa é uma antiga e conhecida realidade de quem produz frutas e as distribui nos grandes centros comerciais. As técnicas de cultivo aliadas ao bom desempenho de fontes nutricionais estão ajudando produtores orgânicos a conquistarem frutos de qualidade em menor tempo, garantindo melhores preços.

Um dos problemas que o agricultor orgânico Odair José Veit, que produz morangos há mais de 15 anos no município de Bom Princípio (RS), enfrentava era a falta de insumos de qualidade e certificados que o ajudasse a aumentar seu poder de competitividade na comercialização dos produtos. “Nós que produzimos orgânicos e somos certificados, sempre sentimos falta de boas tecnologias certificadas para nosso sistema de cultivo. Só consegui reverter esse quadro quando conheci os fertilizantes foliares certificados da Nutriceler, que possui uma linha completa de nutrientes”, diz Odair.

O agricultor conta que com a introdução de fertilizantes especiais de alto desempenho na readequação do manejo foi possível antecipar a colheita de mais de 10 mil pés de morango. “Nosso cultivo é protegido e conseguimos elevar a qualidade da produção com a chegada dessa tecnologia que age mais rápido e apresenta resultados surpreendentes”, diz.

Na propriedade de Odair, as quase 12 mil mudas de morangos são cultivadas em um sistema pioneiro no meio orgânico: o cultivo em substrato, ou também conhecido por slabs. “Conseguimos unir as vantagens do cultivo protegido com a eficiência dos fertilizantes foliares e obtivemos o resultado superior que estávamos almejando”, explica o agricultor.

O engenheiro agrônomo Paulo Lúcio Martins, consultor em agricultura orgânica que acompanhou os pomares de morango de Odair, explica que o tratamento reuniu produtos de rápida absorção e metabolização à base de cálcio, boro, cobre, zinco, ferro, magnésio e manganês. “Fizemos uma combinação reforçada com vários nutrientes essenciais e tivemos uma resposta muito favorável com essa tecnologia, que proporcionou às plantas em absorver os nutrientes. O resultado foi plantas bem nutridas, vigorosas e com produção acelerada”, explica o agrônomo.

Odair comemora os resultados com a renovação de pés que estavam debilitados e com a formação de novos cachos. “Uma variedade de morango que estava praticamente extinta foi revigorada em menos de um mês de tratamento. Hoje a planta está pronta para produzir tão bem quanto as demais”, revela o agricultor. O manejo nutricional possibilitou que a dormência de um ciclo de um cacho até o próximo diminuísse de 3 semanas para 10 dias. “Quem trabalha com frutas sabe que tempo é dinheiro. Adiantar os ciclos é uma enorme vantagem para quem quer comercializar a melhores preços”, destaca.

De acordo com Odair, a meta para as próximas safras de morango é antecipar a produção em um mês. Os morangos orgânicos produzidos pelo agricultor são comercializados diretamente em feiras nas cidades de Caxias do Sul e Porto Alegre, capital gaúcha. “É nítido que a produção orgânica tem uma forte tendência a crescer e ainda são poucos os agricultores que resolvem aderir a esses sistema de cultivo devido às dificuldades que enfrentamos em encontrar tecnologias certificadas. Sinto que esse problema está acabando e a Nutriceler está ajudando a melhorar nossas possibilidade de produzir mais e melhor”, finaliza Odair.

Cultivo em substrato

Odair é um dos poucos agricultores brasileiros que utiliza o cultivo em substrato, ou slabs, para a produção orgânica. O sistema é bastante utilizado na Europa, principalmente em pequenas propriedades agrícolas. O manejo é todo feito em estufas e por meio de sacolas de 1m de altura, 30 cm de largura e 15 cm de diâmetro, utilizando chá de esterco de galinha via fertirrigação e fertilizantes especiais da tecnologia Nutriceler Orgânicos via folha. As mudas ficam suspensas em uma bancada a 80 cm do chão, o que permite que os trabalhadores façam todo manuseio necessário em pé.

Fonte:Agrolink em 02/03/16


Leia Mais:



SIGA NOS

-->